loader image

Prós e Contras do Fiat Stilo: Vale ou Não Vale a Pena?

O Fiat Stilo foi lançado no Brasil em setembro de 2022 para substituir o Brava e o Bravo da mesma montadora. Quer saber quais são os prós e contras do Fiat Stilo? Então, continue com o Review Auto!

Com um design um pouco diferente do que os carros da época, o Stilo não teve uma boa aceitação na Europa, mas no início das vendas aqui no Brasil, teve um bom número de compras e foi, inclusive, comparado ao VW Golf.

Embora tenha sido um carro à frente da sua época em muitas questões de tecnologias no interior do automóvel, o Fiat Stilo contou com problemas pontuais em suas unidades, o que começou a gerar má reputação para ele e as vendas foram caindo até que a Fiat encerrou a produção em 2010 e, as vendas, em 2011.

Contudo, muitas pessoas que viram esse modelo ser lançado na época ainda gostam dele e aí surgem algumas dúvidas.

Quais são os prós e contras do Fiat Stilo? Ainda vale a pena comprá-lo?

Versões do Fiat Stilo

O Fiat Stilo lançou 3 principais versões enquanto havia a produção do carro no país.

  • A versão popular, de entrada, contava com um motor 1.8, 8v e 103 cavalos, com produção da General Motors (GM);
  • Outra versão do Stilo era com motorização 1.8, 1v e 122 cavalos de potência.
  • O Fiat Stilo Abarth contava com um dos melhores motores, um motor 2.4 com 5 cilindros e 167 cavalos de potência. Esse carro chegava a 240 km/h e tinha 7 cavalos a mais que o Marea, seu concorrente direto.

No entanto, embora o Abarth fosse o melhor dos modelos, era também um dos mais caros quando comparado aos seus concorrentes, o que fez com que só tivessem 937 Abarths vendidos e ele foi rapidamente retirado do mercado.

Prós e contras do Fiat Stilo

Como já dito, o Stilo foi um hatch que contava com inúmeros diferenciais, ou seja, tecnologias inovadoras, mas que ao tentar impressionar gerou alguns defeitos pontuais.

Já podemos começar dizendo que o Stilo Sporting tinha um motor aquém do esperado para um hatch esportivo, uma vez que seu motor era mais fraco que os concorrentes, segundo opiniões sobre a montadora italiana.

Mas, mesmo assim, a Fiat seguiu tentando agradar os consumidores, inclusive criando uma das versões de maior sucesso, o Stilo Schumacher, com um motor 1.8, 16v, que era mais forte que os outros e contava com cores especiais, como o amarelo e vermelho.

Prós

Agora que já conhecemos os principais modelos desse carro, vamos entender quais são os prós e contras do Fiat Stilo, começando pelos prós.

Motor

Um dos prós do Fiat Stilo são as unidades que contam com o motor da GM. Afinal, o GM Família I é um dos motores mais utilizados, tanto na época quanto na atualidade.

Automóveis como o Corsa, Meriva, Montana e Onix o utilizam.

Dessa forma, é uma vantagem para o carro, pois conta com a facilidade de manutenção, revisão e de encontrar peças.

Conforto

O Fiat Stilo tem um diferencial bastante interessante: o conforto.

Para o motorista, a regulagem de volante em altura e profundidade auxiliam no conforto da direção.

Já para o passageiro da frente, o espaço para as pernas é um diferencial.

Mas, no geral, todo o estofado do carro é de bastante qualidade, sendo que todos os assentos são confortáveis e contam com uma tecelagem bonita.

Embora a propaganda da Fiat sempre tenha sido de que o Stilo é um carro espaçoso, o banco traseiro pode não ser tão confortável para adultos acima de 1,70 metros.

Porta-malas

O tamanho do porta-malas do Stilo também é um diferencial.

Afinal, com um bagageiro de 380 litros, ele superou em 10 litros o do Astra, que era seu concorrente direto.

Ainda hoje, a litragem dele consegue ser superior a alguns SUVs compactos no mercado.

Além disso, esse carro trouxe o modelo de abertura elétrica com botões para a porta do bagageiro.

Acabamento

Há alguns anos a Fiat era uma marca conhecida pelo seu acabamento de alta qualidade, o que não acontece tanto atualmente.

Contudo, o acabamento interno do Stilo é impecável. O painel tem acabamento com soft touch e, na porta, a marca mesclou couro e tecido.

A padronagem utilizada nos bancos também é bastante bonita e confortável, como já dito.

Itens de tecnologia

Quando algumas tecnologias ainda não haviam sido completamente difundidas no Brasil, o Stilo chegou cheio de novidades.

Dessa forma, o rádio com bluetooth e entrada para MP3 eram vantagens que os concorrentes não tinham.

Além disso, no Stilo Abarth, os faróis de xenon eram completamente novos, assim como os airbags de acionamento progressivo.

O painel era bastante completo, com um computador de bordo com 18 funções, assim como o piloto automático, regulagem elétrica dos faróis, farol de neblina e os vidros elétricos dianteiros.

Outro fator interessante foi o ar-condicionado dual zone, que não era comum, e também uma abertura de ar para os passageiros traseiros.

Direção

A direção do Stilo sempre foi bastante elogiada por ser bem leve, e o carro estar sempre bem preso ao solo.

Além disso, o Stilo contava com o botão City, que deixava a direção ainda mais leve quando na cidade, desde que abaixo de 40 km/h.

Essa tecnologia foi tão bem recebida que a Fiat continuou inserindo-a em seus carros.

Ademais, o Stilo foi o primeiro carro do Brasil a ter direção elétrica, o que inicialmente gerou algum incômodo, mas não por muito tempo.

Consumo

O consumo do Stilo é interessante, principalmente por ele ser flex e poder ser alimentado tanto a gasolina quanto a álcool.

Dessa forma, seu consumo urbano é de 6,4 km/l com álcool e 9,4 km/l quando abastecido com gasolina.

Em malhas rodoviárias, seu consumo é de 8 km/l com álcool e 11,6 km/l com gasolina.

Contras

Com todos os prós citados, vamos conhecer os pontos negativos do Fiat Stilo.

Teto Solar Sky Window

Embora tenha sido um dos seus grandes diferenciais, o teto solar no modelo Sky Window deu dor de cabeça para os proprietários do veículo.

Por ser uma tecnologia nova que funciona em 5 aletas com dobradiças, quando impregnava sujeira ou tinha muito peso para o sistema aguentar – em altas velocidades, por exemplo – o teto solar começava a apresentar problemas.

Isso quer dizer que ele poderia ficar emperrado tanto aberto quanto fechado.

Portanto, mesmo que o teto solar fosse bem bonito, dinâmico e diferente, resultou em alguns problemas.

Suspensão

A suspensão do Stilo foi outro problema visto nessa linha de carros.

Diferente dos seus precedentes, o Bravo e o Brava, a suspensão traseira do Stilo veio extremamente rígida, com uma montagem muito simples. Então, a Fiat precisou fazer um recall nos primeiros modelos da marca.

Esse é um ponto de bastante atenção, pois caso o Stilo que você esteja interessado tenha passado pelo recall, ele ainda pode ter alguns problemas relacionados a isso.

Câmbio Dualogic

O Stilo contava com uma versão automática com câmbio manual, mas que parecia um câmbio automático.

No entanto, o câmbio dualogic é um intermediário entre o câmbio automático e o manual, de modo que ele tem um acionamento eletrohidráulico dualogic 1.

Embora em outros modelos ele tenha sido trocado para o dualogic 2, aquelas unidades que ainda têm o modelo 1 sofrem muito com funcionamento e manutenção, que é bastante cara.

Portanto, junto à conferência da suspensão, a caixa de câmbio dualogic também deve ser levada em consideração por apresentar defeitos.

Quilometragem do carro

Um dos pontos para se levar em consideração é a quilometragem do carro.

Como a montadora italiana cessou as vendas do Fiat Stilo em 2011, independente se o exemplar desejado teve vários ou apenas um dono, ele terá muitos quilômetros rodados, acima da média dos usados atuais.

Então, estar atento a esse tipo de informação pode ser o bastante para decidir entre o Stilo ou outra opção de carro.

Seguro

Também devido à idade que os carros podem ter, costuma ser mais difícil e mais caro o aceite das seguradoras para realizar a cobertura do seu carro.

Então, os donos do Fiat Stilo têm rodado sem o seguro, mas indo em busca dos rastreadores, uma segunda opção também válida.

Peças e manutenção

A maioria das versões do Stilo tem o motor GM, o que facilita a manutenção, visto que outros carros têm o mesmo modelo de motor.

Contudo, peças mais específicas de acabamento podem ser mais difíceis de encontrar, se não impossíveis – muitos donos reclamam disso.

Afinal, não temos nenhuma versão nova dele circulando, ou mesmo versões antigas o suficiente para manter a produção de peças de reposição.

Revenda futura

Caso você queira vender seu Fiat, independente dele ser o Stilo 1.8 8v ou o Stilo 16v, é importante que você saiba que poderá ter dificuldades.

Isso porque, quanto mais tempo rodando, mais problemas e defeitos vão aparecendo, o que é normal em todo carro.

No entanto, em um hatch fora de linha como o Stilo, essas questões podem sair bastante caras para o dono do carro e muitas pessoas não estão dispostas a pagar por isso.

E então, vale a pena comprar o Fiat Stilo?

Essa é uma opinião que consegue dividir até mesmo os apaixonados pela Fiat.

Como o Stilo parou de ser vendido e fabricado há muitos anos, o preço é baixo.

Contudo, um bom custo-benefício dependerá de alguns fatores, como realizar um test drive, levar até uma oficina mecânica de qualidade, avaliar a utilização do câmbio automatizado e seu desgaste e outros fatores já citados que estão enraizados nos problemas do Stilo.

Além desses defeitos, é necessário entender em quais situações você pretende utilizar o hatch, uma vez que o espaço interno pode não ser suficiente e os problemas do carro podem sair mais caros de consertar do que o esperado.

E então, gostou desse conteúdo?

Se você tem dúvidas ou comentários sobre o assunto, é só mandar um e-mail pra gente.

Não esqueça de compartilhar com seus amigos nas redes sociais. Até a próxima e boa compra!