Direção Elétrica ou Hidráulica

Direção Elétrica ou Hidráulica? Entenda as Diferenças

Existem algumas diferenças importantes entre direção elétrica ou hidráulica e entendê-las é essencial para você poder escolher a melhor opção na hora de comprar um carro.

Afinal, a direção é um dos itens mais importantes do veículo e pode impactar diretamente na forma como você dirige.

Sendo assim, confira, abaixo, quais são as principais diferenças e compreenda melhor as características principais de cada uma!

Direção elétrica ou hidráulica?

Direção elétrica ou hidráulica?
Fonte: Quatro Rodas

Os carros atualmente são fabricados com dois tipos de direção, a hidráulica e a elétrica.

Elas têm maneiras de funcionar diferentes, bem como devem receber manutenção apropriada e até mesmo no consumo de combustível há diferenciação entre elas.

Isso porque, com a mecânica e a tecnologia tendo evoluído consideravelmente, os volantes de antigamente não são mais inseridos nos veículos modernos, o que significa mais facilidade para dirigir e menos necessidade de empregar esforços.

Porém, cada um conta com características próprias que possibilitam elencar as diferenças no funcionamento.

Principais diferenças

Uma das principais diferenças entre direção elétrica e hidráulica é a presença de óleo no sistema.

Na elétrica, não existe nenhum tipo de óleo, apenas um motor elétrico que é acoplado à caixa de direção. Com isso, a exigência de forma no manuseio é menor.

No caso da direção hidráulica, existe a presença de óleo na parte da caixa. Esse óleo fica circulando e graças à bomba hidráulica que também faz parte do esforço no seu lugar.

Em comparação com a mecânica, esse tipo de direção é considerado cerca de 80% mais leve, pois o óleo lubrifica o sistema e facilita o manuseio.

Ademais, outra diferença é que na direção elétrica a necessidade de manutenção é menor, além disso, o conforto apresentado é maior, com a mais precisão na realização de manobras.

Inclusive, o veículo que conta com essa direção é mais leve, pois a outra diferença é que na direção elétrica nenhum componente mecânico faz parte do sistema, como correios e mangueiras, diminuindo a carga do veículo.

Além disso, em relação à direção hidráulica, o mecanismo que ela tem melhora o movimento das rodas da parte da frente do carro, o que reduz de forma considerável a resistência que o volante faz nas manobras.

Sendo assim, as principais diferenças entre as duas está na forma como são construídas e nos componentes que elas têm.

Vantagens: direção elétrica e hidráulica

Para entender melhor, conhecer um pouco mais sobre as vantagens de cada uma é importante para verificar os pontos positivos que elas têm e que podem oferecer a cada motorista.

Vantagens da direção elétrica

Na elétrica, uma das vantagens mais significativas é a redução do consumo de combustível.

Em comparação com a hidráulica, o consumo pode cair bastante, o que é um ponto favorável ao meio ambiente, sendo um dos atrativos no momento da escolha, além da facilidade do manuseio, é claro.

Outra vantagem é que esse tipo de direção só exige potência do veículo quando o volante é movimentado. Enquanto a condução ocorre em linha reta, não há consumo de potência.

Ademais, na parte de manutenção também existe grande vantagem, pois ela demanda menos trabalho, pois conta com sistema que é menos complexo e tem bem menos componentes.

Ainda, por não ter óleo, não existe a demanda de troca de fluidos. Sendo assim, você nunca vai sentir a direção mais pesada e pensar que está na hora de trocar o óleo do sistema, que se chama fluido hidráulico.

Porém, claro que ela também deve passar por revisões periódicas como todo o veículo.

Mais uma vantagem é que por ser elétrico, o sistema da direção possibilita que outras funções façam parte desse setor, como:

  • Piloto automático;
  • Assistente de manutenção de faixa;
  • Piloto automático adaptativo;
  • Estacionamento automático.

Nada disso é possível em outro sistema de direção, pois são configurações que dependem de sistemas eletrônicos e de comandos com comunicação direta ao estilo de sistema em questão.

Ou seja, em direção mecânica ou hidráulica, essas tecnologias não são viáveis.

Vantagens da direção hidráulica

Em contrapartida, a direção hidráulica também tem suas vantagens que merecem espaço de destaque.

Nesse sentido, uma das vantagens mais significativas é a sensibilidade que essa direção oferece ao condutor. Isso significa que é possível perceber o piso do tráfego, a aderência e sentir como o carro se comporta.

Sendo assim, esse ponto é muito relevante principalmente em pistas que estão escorregadias por condições climáticas úmidas e chuvas, bem como em situações de tráfego com velocidade mais alta.

Ademais, mais uma grande vantagem é que não existem riscos de que ocorra uma pane elétrica.

Sendo assim, mesmo que aconteça algo com o veículo, como um pneu estourar, ainda assim é possível manter um controle satisfatório do carro.

Além disso, o preço dos veículos com direção hidráulica também está entre as vantagens.

Em comparação aos modelos elétricos, ela se destaca pela economia, pois a maioria dos carros fabricados no Brasil são equipados com sistema hidráulico na direção e o custo é reduzido.

Desvantagens: direção elétrica e hidráulica

Todo sistema conta com desvantagens, pois é impossível criar algo totalmente perfeito e que não necessite de ajustes e reparos.

Nesse sentido, para entender mais a fundo as diferenças entre os dois estilos de direção, também é relevante saber dos pontos negativos de cada um.

Desvantagens: direção hidráulica

A direção hidráulica conta com algumas desvantagens, sendo que a primeira delas é a perda de potência que os veículos sofrem, significando cerca de 1 a 3 cavalos.

Isso acontece independentemente se o veículo está andando em linha reta ou manobrando.

Sendo assim, nos carros que são menos potentes, como nos modelos 1.0, esse tipo de direção não é indicado, sob pena de dificultar ainda mais a capacidade de potência do automóvel.

Mais um ponto negativo é a necessidade de manutenção mais frequente. É verdade, porém, que o custo das manutenções não costuma ser muito grande. Mas, ainda assim, a frequência é maior que a elétrica.

O ideal é que a cada 50.000 km o condutor realize a troca da mangueira, óleo, correia, polia e ainda faça o alinhamento da direção.

Essa recomendação pode variar de acordo com cada fabricante, pois isso é essencial acompanhar as instruções que seu veículo tem.

Ademais, como dito acima, a necessidade de manutenção é maior.

Isso significa que mais problemas podem surgir, principalmente pela variação de componentes que o sistema tem. Assim, pode haver vazamento de óleo, direção pesada e chiado constante e agudo.

Sendo assim, é preciso ter o mínimo de conhecimento para identificar os sinais de necessidade de manutenção, pois os mencionados acima, por exemplo, podem representar que está na hora de substituir o fluido hidráulico.

Mas, é importante que o condutor não espere os sintomas surgirem para realizar a devida manutenção.

Desvantagens: direção elétrica

Uma das principais desvantagens que a direção elétrica tem é a possibilidade de risco de pane elétrica.

Nesses casos, o volante se torna mais pesado e fica mais difícil de escolher as direções. Porém, não significa que o motorista irá perder o controle do automóvel.

Nesses casos, a assistência pode ser mais cara, pois entre as opções de falha, com o sistema elétrico, o custo do reparo pode ser maior.

Ainda, tem a questão de que com a direção elétrica, o sistema elétrico é que liga a caixa às rodas.

Portanto, não há nenhuma peça mecânica que faça essa ligação com o volante, o que pode estar entre as desvantagens para alguns motoristas.

Isso porque, é indispensável que a manutenção preventiva da central eletrônica e de todos os sistemas estejam sempre em dia, pois uma vez não estando e ocorrer uma falha nessa ligação, o resultado pode ser a perda de controle entre a direção e a condução do veículo.

Considerações finais

Direção Elétrica ou Hidráulica
Fonte: AUTOO

Como detalhado ao longo do artigo, as diferenças entre direção hidráulica ou elétrica são várias. Além disso, são significativas para o funcionamento do veículo e para a forma como o condutor percebe o carro durante o tráfego.

Assim, você deve considerar todas essas questões quando for escolher seu carro e tiver que optar entre uma ou outra direção.

Isso porque não se indica a troca posterior, pois trata-se de algo que requer alteração de grande parte da estrutura do veículo e o custo-benefício dessa troca não traz vantagens.

Para escolher, considerar o que você necessita e deseja é importante.

Se quer uma direção o mais leve possível, com menor consumo de combustível e menos manutenção, então a direção elétrica pode ser a melhor escolha.

Porém, se você deseja um veículo com menor custo, talvez a direção hidráulica seja a preferência.

Em ambos os casos será mais fácil dirigir e fazer manobras do que em comparação com a direção mecânica que era a única existente até o final da década de 1980.

No entanto, cada um oferece vantagens adicionais e que podem fazer grande diferença para o condutor.

Portanto, no caso de dúvidas entre a direção elétrica ou hidráulica, é importante considerar todas as orientações que foram trazidas aqui sobre o volante, sobre o sistema em geral e sobre como os carros se comportam com uma ou com outra.