loader image

O Que é Direção Defensiva? Guia Completo Sobre o Assunto

O que é direção defensiva? Quais seus princípios básicos? Como colocá-la em prática?

A direção defensiva é a melhor forma de evitar acidentes. Afinal de contas, o seu objetivo é formar condutores para dirigir com segurança.

Confira a seguir!

O que é direção defensiva?

De acordo com o manual do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), a direção defensiva é a melhor maneira de dirigir.

O seu objetivo é que o condutor identifique com antecedência situações de perigo e se prepare para tomar as ações necessárias para garantir o bem-estar de todos (condutor, passageiros e pedestres).

Para isso, o conceito de direção defensiva inclui práticas de prevenção de acidentes no dia a dia em diversas circunstâncias, como condições climáticas e da pista e a conservação do veículo.

O oposto da direção defensiva é a direção agressiva, ou seja, dirigir de forma que coloque em risco a vida (do condutor e de outras pessoas) por dirigir olhando apenas para um ponto, não se concentrar ou fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo, por exemplo.

Tipos de condução defensiva

A direção defensiva pode ser classificada em dois tipos principais:

  • Preventiva: quando o condutor antecipa os riscos, dirigindo com atenção as suas condições físicas, mentais, do veículo e da via.
  • Corretiva: quando o condutor precisa corrigir imediatamente uma situação de perigo que não pode ser prevista, como um acidente.

Princípios básicos da direção defensiva

A fim de garantir a segurança na direção, a condução defensiva possui 5 princípios básicos:

  1. Conhecimento
  2. Atenção
  3. Previsão
  4. Habilidade
  5. Ação

Conheça os detalhes a seguir!

1. Conhecimento

O primeiro princípio da direção defensiva é o conhecimento, ou seja, domínio da legislação, de direção, do carro e dos seus equipamentos.

Ele também inclui saber sobre as condições adversas que afetam a segurança, como tempo, iluminação, trânsito, via, cargas e passageiros, por exemplo.

2. Atenção

A atenção também é fundamental para a direção defensiva.

Prestar atenção a todos os elementos que podem interferir no percurso é essencial para que o condutor possa agir com segurança em uma emergência.

Por exemplo, é importante que o condutor fique sempre atento às condições da via, aos pedestres, aos passageiros e aos demais condutores na via.

Entretanto, algumas situações requerem ainda mais atenção, como atravessar um cruzamento e transitar em locais com pouca iluminação.

3. Previsão

Com conhecimento e atenção, o condutor é capaz de prever e se preparar com antecedência para uma situação de risco.

Por exemplo, se há ciclistas na via, o motorista sabe que deverá reduzir a velocidade e passar a pelo menos 1,5 metros de distância.

Ou, então, se há um cachorro andando sozinho na rua, o condutor se mantém alerta para caso ele corra entre os carros.

4. Habilidade

Outro princípio fundamental para a direção defensiva é a habilidade.

Afinal, se você tem conhecimento, atenção e previsão, mas não sabe conduzir o automóvel corretamente, não vai adiantar nada.

Então, um condutor defensivo tem a habilidade de realizar manobras com o carro de forma segura, mesmo que seja fora do comum, sem perder o controle, como desviar de animais ou jogar o carro no acostamento em emergências.

Além de experiência na direção, ter esse tipo de habilidade inclui conhecer o veículo.

5. Ação

Por último, a condução defensiva envolve ação. Quando encontra situações de risco (ou a possibilidade dela), o motorista age imediatamente para evitar um acidente; sempre respeitando suas limitações e as do veículo.

Direção defensiva e o Código de Trânsito Brasileiro

A direção defensiva está prevista no Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Desde 2005, é obrigatório que o curso de formação de condutores aborde a direção defensiva, conscientizando os novos motoristas sobre como manter a direção segura.

Por isso, os cursos teóricos e práticos oferecidos pelas autoescolas têm cerca de 16 horas dedicadas apenas para direção defensiva.

Inclusive, os exames também incluem a parte teórica e prática sobre segurança no trânsito.

Somente após cumprir a carga horária obrigatória e passar nas provas, o condutor terá sua CNH (Carteira Nacional de Habilitação).

Além disso, o artigo 338 do CTB prevê que os fabricantes devem entregar junto com o veículo novo um manual com as leis de circulação, direção defensiva, primeiros socorros, infrações, penalidades e outros anexos importantes do Código.

Ou seja, colocar em prática a condução defensiva é lei!

Dicas para colocar em prática a direção defensiva

Agora que você já sabe o que é direção defensiva, veja algumas dicas de como colocá-la em prática.

1. Faça manutenções regularmente

A direção defensiva começa mesmo antes de pegar o carro. Afinal, para dirigir com segurança o veículo precisa estar em bom estado.

Com o tempo, é normal que as peças do veículo se desgastem, mesmo com bom uso.

Na maioria das vezes, quando aparece algum problema mecânico a peça já quebrou.

Assim, se um imprevisto acontecer, o condutor pode não conseguir fazer a manobra necessária para evitar um acidente. Ou o defeito pode até mesmo causar o acidente!

Por isso, sempre faça as revisões e manutenções preventivas.

2. Fique atento ao funcionamento do veículo

Além da manutenção, também é importante prestar atenção ao funcionamento do veículo antes de colocá-lo na rua.

Antes de começar a dirigir, confira se há combustível suficiente, se os faróis e lanternas estão funcionando, se o nível do óleo está dentro do limite, se há água no carburador e se os limpadores de para-brisa estão em bom estado.

Além disso, certifique se os pneus não estão carecas e se o freio e a suspensão estão funcionando bem.

É claro que você não precisa conferir todos esses itens todos os dias, mas é importante fazer isso com frequência.

Depois, quando começar a dirigir, também fique atento ao veículo, reparando em mudanças de funcionamento do acelerador, da embreagem, do volante, do freio e barulhos estranhos, por exemplo.

Quanto mais você conhecer o carro, mais fácil será reconhecer que há algo errado!

3. Dirija com a postura correta

A postura durante a condução do veículo também faz parte da direção defensiva. Mais do que conforto, a posição correta do corpo proporciona mais agilidade nas manobras e amplia a visão periférica.

No caso de motoristas profissionais, a postura é ainda mais importante, já que ela influencia diretamente no seu bem-estar e na saúde da coluna.

Pensando nisso, a melhor posição para dirigir é apoiar as costas no banco (formando um ângulo de cerca de 90 graus com as pernas) e manter os braços no volante levemente dobrados.

O ideal é que seus pulsos toquem o alto do volante sem dificuldade.

Além disso, as mãos devem ser posicionadas no volante na famosa posição 9h15. Essa posição permite que você movimente o volante com rapidez sem causar dores nos braços.

Por outro lado, as pernas devem ficar ligeiramente dobradas, permitindo que os pés alcancem o fundo da embreagem, do freio do acelerador sem dificuldade.

Os equipamentos eletrônicos que usar durante a condução, como GPS ou aplicativo de localização do celular, também precisam ficar em um lugar de fácil visualização, para que você não precise desviar muito o olhar da via ou soltar o volante para ajustá-lo.

Segundo o Contran (Conselho Nacional de Trânsito), esse tipo de equipamento deve ser instalado no painel dianteiro ou no para-brisa, caso não venha de fábrica.

4. Sempre use os itens de segurança

Para garantir a sua segurança e dos passageiros, tenha o hábito de colocar o cinto antes de ligar o carro (e só saia quando todos fizerem o mesmo).

Essa dica pode parecer muito simples e óbvia, mas uma pesquisa do IBGE mostrou que apenas 79% das pessoas afirmam sempre usar o cinto de segurança no banco da frente, e 54% no banco de trás do carro.

Além do cinto, ajuste os retrovisores antes de sair e sempre que necessário use o quebra-sol, a buzina e o limpador de para-brisa para ter uma boa visão da via.

Também certifique-se de sempre ter no carro o triângulo de segurança, step e as ferramentas necessárias para trocar o pneu em uma emergência.

Embora não seja mais obrigatório, você também pode investir em um extintor de incêndio.

5. Preste atenção ao que acontece à sua volta

Ao dirigir, é importante não prestar atenção em apenas um ponto.

Afinal, quando você sabe o que está acontecendo à sua volta é mais fácil identificar e evitar situações de perigo.

Então, embora seja importante se concentrar na via e olhar o retrovisor com frequência, fique atento também a calçada, para identificar se há pessoas distraídas atravessando a rua, um carro saindo da garagem ou um animal solto.

6. Mantenha uma distância segura dos outros carros

De acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), a colisão traseira é o acidente de carro mais comum, e o mais perigoso.

Entretanto, é possível evitá-lo por manter uma distância segura dos outros carros.

Por isso, o ideal é que você ande e pare a uma distância que permita que você manobre o carro com segurança em uma emergência.

Na cidade, onde geralmente andamos em menor velocidade, fique a uma distância onde você possa ver os pneus traseiros do carro à sua frente e uma faixa do asfalto.

Mas lembre-se, quanto maior a velocidade, maior deve ser a distância entre os carros.

Quando estiver próximo de veículos longos, também evite ficar próximo demais.

Se precisar ultrapassar, faça isso rapidamente e se afaste, pois veículos maiores têm mais pontos cegos.

7. Respeite as condições da via

As condições da via afetam diretamente a segurança na direção. Por isso, precisamos andar em uma velocidade compatível para ter uma condução defensiva.

Sempre que houver alguma alteração na via, como elevações, buracos, ondulações, e inclinações, o melhor é reduzir a velocidade antes e, se possível, desviar.

Além disso, é mais seguro reduzir a velocidade quando há curvas, declives e sinalização de estreitamento da via.

Embora seja necessário andar em baixa velocidade em algumas situações, vale a pena lembrar que é necessário respeitar o limite da via, pois andar muito devagar também pode causar acidentes.

8. Adapte-se às condições climáticas

Para ter uma direção defensiva também é importante se adaptar às condições climáticas adversas.

Por exemplo, em dias de chuva, o melhor é reduzir a velocidade, ligar o farol baixo, aumentar a distância entre os veículos e evitar freadas bruscas.

Assim, é menos provável que o veículo derrape e bata em outros veículos.

Da mesma forma, no caso de neblina, cerração ou fumaça, ligue o farol baixo e o de neblina (se tiver), reduza a velocidade e nunca pare na pista.

Pare no acostamento apenas em emergências, com o pisca alerta ligado, pois por causa da baixa visibilidade os outros condutores podem não ver você.

No geral, reduzir a velocidade e usar farol baixo é a melhor recomendação.

Use o farol alto apenas quando estiver sozinho na via, e reduza a luz caso um veículo venha na sua direção.

9. Conheça as leis de trânsito

Por fim, fique atualizado com as leis de trânsito do país e siga-as.

Algumas infrações de trânsito que se tornaram um hábito para alguns motoristas, mas que vão contra a direção defensiva são:

  • Não sinalizar as manobras com seta;
  • Ultrapassar pela direita ou em local não permitido;
  • Não parar no farol vermelho (ou não reduzir no amarelo);
  • Andar acima da velocidade permitida;
  • Usar o celular enquanto dirige;
  • Não dar preferência ao pedestre;
  • Não usar cinto de segurança;
  • Estacionar em local proibido.

Lembre-se: as leis de trânsito foram criadas como proteção. Por isso, é importante respeitá-las!

Curso de direção defensiva: vale a pena?

Atualmente, o curso de direção defensiva faz parte da formação de condutores, conforme rege o Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Porém, o que é apresentado nas autoescolas é apenas o básico.

Então, se preferir você pode fazer um curso de direção defensiva por conta própria.

De acordo com a Resolução nº 168, de 14 de dezembro de 2004, do Contran, esse curso deve abordar os seguintes assuntos:

  • Conceito de direção defensiva;
  • Como conduzir em situações adversas e de risco;
  • Como evitar acidentes;
  • Teoria de condução do veículo com passageiros ou carga;
  • Cuidados e respeito com os demais usuários da via (condutores e pedestres);
  • Equipamentos de segurança;
  • Situações de risco;
  • Estados mental e físico do condutor;
  • Efeitos do consumo de álcool, drogas e substâncias psicoativas.

Esse curso pode ser feito tanto presencial quanto online e é opcional.

Contudo, quem exerce atividade remunerada como motorista precisa fazer o curso de direção defensiva, conforme rege o artigo 150 do CTB.

No caso de profissionais contratados CLT, a responsabilidade de oferecer o curso é do contratante.

Agora que você já sabe o que é direção defensiva, continue navegando no Review Auto e leia mais sobre assuntos relacionados!