loader image

Carros no cartão de crédito: como comprar com segurança? Vale a pena?

Você sabia que é possível comprar carros no cartão de crédito?

Muitas concessionárias e revendedoras de carros novos e usados aceitam a compra no cartão de crédito para melhor comodidade do cliente.

É mais prático porque não precisa pagar todas as parcelas para ter o carro em seu nome de imediato.

Além disso, a facilidade de parcelamento com cartões de crédito evita problemas comuns no financiamento bancário de quem não tem todo o dinheiro para bancar o sonho de comprar um carro.

Então, se você é uma dessas pessoas que não sabia que era possível comprar carro no cartão de crédito, este artigo é para você. Acompanhe!

Comprar carros no cartão de crédito é mesmo possível?

carros no cartão de crédito
Fonte: Autoesporte

Sim, é possível comprar carro no cartão de crédito.

O comprador não precisa mais ficar preso ao banco por conta de financiamento bancário, pois com o cartão de crédito já é possível transferir o veículo para o seu nome sem burocracia.

A única coisa que o comprador precisa é de limite no cartão de crédito para a compra de carros, motos ou qualquer outro automóvel.

Como, na maioria das vezes, a compra de veículo no cartão ou financiado é feita em parcelas, o limite precisa ser maior ou igual ao valor do veículo.

Sendo assim, se o carro custa R$50 mil, é preciso que o limite do cartão de crédito seja igual ou maior que esse valor.

Caso você entre com a metade do dinheiro, o limite necessário cai para a metade também.

Melhores formas de pagamento de um carro: comprar no cartão de crédito vale a pena?

Agora que você sabe da possibilidade de comprar carro com cartão de crédito, vamos mostrar os diferentes métodos de pagamento para esse tipo de negócio.

Dessa forma, você terá um norte sobre a compra de carro no cartão de crédito e poderá entender se realmente esse é o método perfeito para o seu bolso. Confira em seguida!

Compra de veículos à vista

Comprar carro à vista é uma opção bastante vantajosa para quem precisa do automóvel agora e, principalmente, tem uma boa reserva econômica.

Por isso, ainda que você não tenha que pagar as taxas de juros, comuns no parcelamento do automóvel com ou sem cartão de crédito, pensar no planejamento financeiro é obrigatório.

Afinal, não adianta ter crédito suficiente para pagar o veículo, se você se descapitalizar, isto é, abrir mão de uma reserva para adquirir um bem.

Ainda mais se essa reserva for para gastos com a saúde, o nosso bem mais precioso. Não dá para ficar na mão nessa hora, não é?

Sem contar no custo de oportunidade, pois muita gente deixa de investir em algo mais rentável para a compra de um carro e depois tem dor de cabeça para resolver.

Sendo assim, compre um veículo à vista apenas se você tiver dinheiro suficiente para arcar com todas as despesas, incluindo combustível, manutenção do veículo, impostos, taxas, etc.

Precisando trocar os pneus? Nós fizemos uma lista incrível com os melhores pneus do mercado. Confira!

Financiamento de carro

A maioria das pessoas prefere financiar veículos por ser uma das modalidades que mais atrai os clientes. Isso acontece porque nem todo mundo tem o dinheiro para pagar à vista, além de possuir parcelas que cabem no bolso.

Contudo, o financiamento pode parecer um método mais fácil de pagamento, uma vez que os prazos variam entre 12 a 72 meses.

Entretanto, o valor da taxa de juros geralmente encarece o preço final dos veículos em mais de 50%.

Sem contar os encargos que as lojas cobram e que ficam embutidos no valor das parcelas, como as taxas bancárias, incluindo o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

Financiamento sem entrada: quem pode fazer?

Geralmente, os bancos exigem que o cliente dê uma entrada de 20% do valor do veículo, sendo que os outros 80% entram nas parcelas mensais.

Mas, apesar de ser um método interessante, nem todo mundo dispõe de 20% de imediato, por isso, recorrem ao financiamento de carro sem entradas.

Assim, os bancos fazem uma análise de crédito bastante rigorosa, porque somente em dois casos o financiamento de carro é liberado:

  1. Score de crédito alto – É uma pontuação que aponta se há risco de inadimplência ou não por parte do cliente. Quanto mais alto, menor o risco.

Para avaliação, é levado em conta o histórico financeiro da pessoa, como dívidas em aberto e inscrição em órgãos de proteção ao crédito.

A falta de quitação da água, luz e telefone também são consideradas durante a avaliação e podem interferir negativamente na aprovação do financiamento.

É preciso destacar, ainda, que cada instituição financeira determina o número do score ideal para o cliente financiar o veículo sem entrada.

Então, o melhor a fazer é procurar informações direto com o seu banco para entender seu funcionamento.

  1. Renda compatível com o valor do financiamento – O seu score é alto, mas mesmo assim o banco negou o financiamento sem entrada? Isso quer dizer que a sua renda pode dificultar o pagamento das parcelas.

Por isso, antes de pensar nessa modalidade de crédito, verifique o seu score e se o valor que será pago não vai comprometer mais que 30% do seu salário.

Por exemplo, se você ganha R$ 3 mil, você pode financiar seu veículo com valor mensal de até R$ 900. Isso é uma garantia de que nem você vai ficar no prejuízo, muito menos o banco.

Para os gastos extras com o carro, invista em cupons de desconto entre as opções da nossa seleção. 

Consórcio

Consórcio é uma forma de crédito que permite ao comprador adquirir seu primeiro carro ou veículo usado.

A ideia de um consórcio é participar de um grupo com o mesmo objetivo: juntar dinheiro para conseguir a carta de crédito e, finalmente, comprar o tão sonhado carro.

O funcionamento é baseado em uma poupança mensal, onde são depositadas as prestações da cota adquirida por cada integrante do grupo.

Todo o processo é administrado por uma empresa, que cobra uma taxa fixa embutida nas prestações.

Normalmente, é uma taxa mais baixa que a cobrada pelos juros de um financiamento ou, até mesmo, pelo cartão de crédito.

Ao pagar o valor mensal das prestações da cota durante um período de 2 a 5 anos, o integrante pode participar de sorteios ou lances para obter a carta.

Pode ser um modo interessante de comprar carro, uma vez que não depende de aprovação de crédito, mas um aviso: seu nome tem que estar limpo, caso seja contemplado com a carta de crédito no lance.

Leasing: semelhante ao aluguel de veículos

Se você quiser ficar isento de pagar o IOF, fazer um leasing pode ser interessante, já que é um tipo de pagamento que vem ganhando espaço no mercado.

O porém é que o carro continua sendo da instituição financeira, que só libera no nome do novo proprietário após a quitação das parcelas mensais.

Além disso, as taxas são mais altas que no financiamento, mesmo com a isenção do IOF.

O leasing ainda pode ser mais complicado devido às taxas pós-fixadas, que variam de acordo com o câmbio.

Empréstimo com CDC

Crédito Direto ao Consumidor (CDC) é uma das formas de pagamento com taxa de juros mais atrativa.

Ele funciona como um empréstimo: o banco tem o seu veículo como garantia de que você vai pagar a parcela.

Além disso, quando falamos em taxas mais atrativas, estamos nos referindo aos aposentados e àqueles clientes que possuem o salário vinculado ao banco que oferta o CDC.

Caso o cliente tenha um excelente perfil de relacionamento com esse banco, as linhas de crédito podem ser ainda mais vantajosas.

Comprar carro no cartão de crédito é a melhor opção?

Depois de conhecer as diferentes formas de pagamento para obter seu primeiro carro, seminovo ou usado, fica o questionamento: melhor comprar veículo no cartão mesmo?

O cartão de crédito possui vantagens que podem sair na frente dos métodos já apresentados aqui, mas nem tudo são flores.

Veja a seguir os prós e contras de usar o cartão de crédito para comprar um carro.

Vantagens e desvantagens de comprar carro no cartão de crédito

comprar carro no cartão de crédito
Fonte: Falando de Viagem

Quando a esmola é demais, até o santo desconfia – todo brasileiro já ouviu essa frase diante de alguma coisa aparentemente fácil, não é?

Por isso vamos destacar os prós e contras de usar o cartão de crédito para compra de um carro.

Vantagens dos cartões de crédito na compra do carro

  • Transferência de imediato do veículo para o seu nome;
  • Possibilidade de fazer parcelamento (pode parcelar a entrada e pagar o restante ao banco também);
  • Maior ganho de pontos no programa de relacionamento com o seu cartão de crédito;
  • Redução da taxa de juros ao pagar o valor das parcelas em dia;
  • Condições especiais no seguro auto ao pagar o carro no cartão de crédito;
  • Nenhuma chance de tomada de veículo em caso de não quitação das parcelas.

Na hora de contratar um seguro para o carro, a opção de pagar o veículo no cartão de crédito se torna bastante vantajosa.

Isso porque algumas seguradoras oferecem boas condições para quem vai parcelar a compra. Sem contar que pensar na segurança do carro deve fazer parte das prioridades antes de comprar um veículo.

Desvantagens dos cartões de crédito na compra do carro

  • Limite de parcelamento em até 12 vezes no cartão de crédito;
  • Limite do cartão igual ou maior que o valor do carro;
  • Taxas de juros maiores no crédito rotativo, a depender das instituições financeiras.

Como aumentar o limite de 12x no cartão de crédito?

Você viu que as vantagens de comprar um carro no cartão de crédito são bem maiores, o que já incentiva esse método de pagamento.

Mas o limite de parcelamento em até 12x pode ser o grande problema na hora de comprar um carro no cartão de crédito.

Sem contar que há concessionárias que só aceitam parcelar em até 10 vezes sem juros… e agora?

Para isso, já existe um método de conseguir ampliar esse limite – e sem fórmula secreta!

Trata-se de uma fintech de pagamentos eletrônicos, como a Listo, que facilita a compra e financiamento de veículos com cartão de crédito, usando o CDC.

As lojas, concessionárias e revendedoras podem oferecer essa modalidade de pagamento aos clientes ao usarem a plataforma da Listo e, dessa forma, garantir que o parcelamento do veículo no cartão de crédito seja feito em até 24 vezes.

Como evitar as altas taxas de juros ao comprar carro no cartão de crédito?

Uma dúvida comum de todo futuro proprietário de um carro é se vai conseguir pagar toda a fatura do cartão, sem cair no crédito rotativo (empréstimo em situações de emergência).

Afinal, os juros do rotativo são exorbitantes e, em muitos casos, comprometem o orçamento da casa.

Para você ter uma ideia, os juros do banco Bradesco e da seguradora Porto Seguro ultrapassam 300% e 400% ao ano, respectivamente.

Então, para escapar do imenso valor dos juros cobrado pelas instituições, vale seguir o passo a passo abaixo:

  1. Verifique suas finanças para ver se tem condições de bancar o sonho de ter um carro. Isso inclui pensar naquele dinheiro reserva para saúde, alimentação, manutenção da casa e outros gastos extras;
  2. Garanta que o valor das parcelas não ultrapasse 30% do seu salário mensal. Já falamos sobre isso aqui, mas vale a pena enfatizar;
  3. Evite pagar a fatura mínima do cartão, sob o risco de cair no crédito rotativo;
  4. Invista em um cartão a mais. A ideia é NÃO usar o mesmo cartão de crédito de compras do cotidiano para comprar carro. Isso compromete o limite do cartão. Caso você não tenha outro cartão, pense direitinho se vale a pena usar o seu limite para parcelar um carro.

É possível comprar um carro com mais de um cartão de crédito?

Sim, ou seja, se na hora de comprar um carro no cartão de crédito você perceber que o limite não é suficiente, é possível entrar com outro cartão.

Mas primeiro é preciso saber se a loja ou concessionária escolhida para fazer o negócio aceita o uso de dois ou mais cartões para pagar a parcela do veículo.

Além disso, como cada cartão de crédito possui um limite, você deve verificar se a operadora do seu cartão oferece uma boa quantidade de parcelas para você dividir o preço final do veículo.

Escolha pagar o valor das parcelas no cartão de crédito e financiamento bancário

Se você não sabe – ou tem certeza – de que não poderá comprar um veículo no cartão de crédito de forma integral, pode optar por dividir as despesas entre o cartão e o financiamento.

Na verdade, muitas concessionárias aconselham esse método para evitar juros altíssimos.  Nesse caso, então, o comprador paga uma parte do valor do carro no cartão de crédito, e outra parte é financiada.

Um exemplo disso é quando a entrada é de R$ 20 mil, mas faltam R$ 10 mil para completar. A concessionária pode aceitar o parcelamento desses R$ 10 mil reais no cartão de crédito em até 10 vezes sem juros.

Em outra situação, pode acontecer de faltar R$ 2 mil reais para dar início a uma compra de um veículo no cartão.

Dependendo da concessionária, o valor pode ser parcelado no crédito em até 3 vezes, e o restante financiado.

De qualquer forma, a facilidade para pagar por compras de alto valor precisa de muita atenção, já que vendas de automóveis podem trazer taxas embutidas.

Por isso, verifique se as taxas sem juros são realmente sem juros em todas as parcelas ou somente nos primeiros meses.

Às vezes, pode acontecer dos valores de entrada e as primeiras parcelas serem tão atraentes, que não percebemos as letras miúdas do contrato sobre o aumento dessas taxas a partir de determinado período.

Melhor é ter atenção!

Vale a pena comprar um carro no cartão de crédito, afinal?

Se você consegue administrar suas finanças e possui limite suficiente em seu cartão de crédito, então tem condições de comprar um carro no cartão.

Agora, se você estiver com dúvida se vai conseguir pagar, por ter um orçamento apertado, por não poder adquirir outro cartão e o seu atual é usado a curto prazo, o melhor é evitar contrair a dívida.

Afinal, carro pode ser um investimento, mas também um prejuízo – a julgar pelos juros.

De qualquer maneira, pense bem nas condições e serviços oferecidos pelas lojas e revendedoras de veículos novos, seminovos e usados para ter certeza se vale a pena ou não fazer esse tipo de negócio.

Uma vez que cada caso é um caso, é preciso avaliar o orçamento, a necessidade e o valor do veículo no mercado, tudo antes de comprar carros com cartão de crédito.