loader image

Quantos Litros de Aditivo Vai no Radiador? Saiba Aqui

Quantos litros de aditivo vai no radiador?

Essa é uma pergunta comum de quem tem um carro e está sempre atento ao sistema de arrefecimento do motor.

Isso porque o cuidado com o motor deve ser sempre realizado de maneira preventiva, a fim de sempre evitar possíveis danos a ele.

Afinal, sabemos o quanto pode ser caro consertar peças em uma retífica ou ter que substituir o motor completamente.

Portanto, vamos entender qual a quantidade ideal de aditivo no seu radiador.

Quantos litros de aditivo vai no radiador?

A quantidade de litros de aditivo que o seu radiador precisa é extremamente individual de cada carro.

Isso porque o tamanho do radiador e a necessidade para conseguir abaixar a temperatura do veículo são diferentes para cada modelo de motor.

Portanto, uma dica muito importante é sempre consultar o manual do seu carro ou, até mesmo, entrar em contato com a concessionária ou pelo site do fabricante do carro.

No entanto, é importante ter em mente que antes mesmo de se perguntar quantos litros de aditivo vai no radiador, todos os motoristas devem saber que o aditivo não deve ser inserido puro no sistema de arrefecimento.

Para que o aditivo consiga realizar seu trabalho corretamente, é necessário adicionar água destilada ou filtrada no carvão ativado, em uma proporção correta, que costuma ser entre 40% e 50% de aditivo para 60% ou 50% de água.

Com a mistura de aditivo e água, teremos o líquido de arrefecimento, que deve sempre ser composto por pelo menos 1 litro de aditivo, embora, como já dito, é crucial que se confira no manual a necessidade de cada automóvel.

Utilizar somente água: um problema com ponto de ebulição e congelamento

Alguns motoristas, por vezes, preferem completar ou colocar apenas água no radiador sem a utilização de aditivos.

No entanto, independente do motivo para isso, essa ação é bastante perigosa para a saúde do seu motor.

O aditivo misturado à água permite que o líquido de arrefecimento tenha a consistência correta e não seja tão volátil quanto a água sozinha, dessa forma, não atingimos o ponto de congelamento nem de ebulição.

Ao utilizar somente a água, é muito mais fácil que em dias frios ela congele nos canos, assim como pode começar a evaporar em dias quentes, sem conseguir resfriar o motor, que é o grande objetivo do sistema de arrefecimento.

Ademais, quando não se utiliza a água destilada ou filtrada com carvão ativado, contamos com partículas de metais e sais que aos poucos podem impregnar no motor e causar danos a ele.

Logo, estar atento ao uso de aditivos e à proporção da mistura é fundamental para um bom funcionamento da refrigeração do motor, e também para evitar danos físicos como ferrugem, corrosão e que o ele chegue a fundir pelas altas temperaturas atingidas.

O que é sistema de arrefecimento?

O sistema de arrefecimento é o responsável por refrigerar o motor, percorrendo um caminho entre diversos componentes, absorvendo o calor e dissipando-o.

Dessa forma, o líquido de arrefecimento sai do radiador, conectado por uma série de mangueiras, passa por uma centrífuga no virabrequim, faz seu trajeto pelos cilindros para diminuir a temperatura deles – afinal, ali está a câmara de combustão – e volta para o radiador, para recomeçar o ciclo.

Portanto, para responder quantos litros de aditivo vai no radiador, também é importante perceber se todo o sistema recebe a quantidade de aditivo na proporção correta, necessária durante o ciclo, de maneira que o veículo esteja adequadamente sendo resfriado.

Como realizar a troca de aditivo?

A manutenção do veículo de maneira geral deve sempre ser realizada de maneira preventiva, de modo que o motorista esteja sempre se precavendo de grandes problemas que podem acometer o seu carro.

Portanto, é importante, mais uma vez, checar no manual do usuário a frequência de troca que o fabricante recomenda para o líquido de arrefecimento.

Esse número pode variar de 1 a 10 anos, mas, realizando uma revisão, sempre será possível perceber se é hora de completar com aditivos/solução.

É preferencial que a troca de aditivo seja realizada em uma oficina mecânica, por um mecânico de qualidade, pois o líquido que será retirado não pode ser descartado incorretamente, uma vez que contém propriedades que poluem o meio ambiente.

Então, a troca será realizada da seguinte maneira:

  • Retirada de todo o líquido antigo do reservatório;
  • Conferência das mangueiras, para que perceba a possibilidade de rachaduras ou quebras que possam levar ao vazamento de líquido;
  • Substituição do líquido anterior pela solução de aditivo+água;
  • Conferência do nível de líquido no reservatório, de acordo com a marcação no veículo.

E assim os carros podem voltar a circular com um líquido de arrefecimento novo, de qualidade e que conseguirá suprir todas necessidades.

Caso você vá realizar a troca de um tipo de um produto para outro é, no entanto, necessário realizar uma limpeza no sistema, para que os dois não se misturem e gerem problemas.

Preparado para realizar a manutenção do sistema de arrefecimento do seu veículo?

Como proprietário de veículos, quanto mais nos resguardamos realizando manutenções preventivas e estando atentos às informações oferecidas pelos fabricantes do próprio veículo e marcas de confiança, mais conseguimos aumentar a vida útil dos carros.

Isso também contribui para valorizar o veículo na hora de vender/trocar.

Ou seja, de São Paulo ao Rio de Janeiro, de Curitiba ao Recife, em qualquer tipo de estrada ou condição, é essencial manter o veículo sempre em condições seguras.

Sendo assim, entender quantos litros de aditivo vai no radiador é algo que demonstra bastante cuidado com o arrefecimento do carro e que pode te poupar de enormes dores de cabeça.

Chegamos ao fim das nossas dicas! E então, o que você achou? Deixe um comentário abaixo ou envie um e-mail para a nossa equipe se tiver dúvida.

Mantenha-se sempre informado e até a próxima!