Renault Kwid Prós e Contras: Veja Se Vale a Pena Comprar

Quando pensamos no Renault Kwid, prós e contras acabam surgindo. Afinal, todos os veículos têm pontos positivos e pontos negativos também.

O modelo, que chegou ao mercado brasileiro querendo ser o “SUV dos compactos”, já liderou o rol de vendas e se tornou o queridinho dos usuários, isso porque, um dos seus prós está no preço: R$ 59.890.

Afinal, quem não quer pagar barato e levar um dos carros mais vendidos da categoria, não é?

Sem contar que existem quatro versões do Renault Kwid mais acessíveis do Brasil, mesmo comparado com o Fiat Mobi, seu concorrente direto. São eles:

  • Zen;
  • Intense;
  • Intense Pack Biton;
  • Outsider.

Vai comprar um Renault Kwid? Prós e contras devem ser avaliados.

Então, se liga nesse post que o Review Auto preparou para você!

Renault Kwid: prós e contras do SUV dos compactos

Robustez no visual, praticidade e preços baixos – essas são as principais características que se tornaram chamariz para os compradores do Kwid, feito para mercados emergentes.

Por outro lado, ainda que seja um sucesso de vendas, a marca enfrentou alguns problemas durante o lançamento e já ficou em segundo lugar na posição de carro mais vendido, atrás do VW Onix.

Por isso, antes de comprar seu Renault Kwid, vamos saber se vale a pena dirigir o hatch mais econômico do mercado. Confere com o Review Auto!

Pontos positivos do Renault Kwid

Quem vê as imagens desse modelo vai perceber o quanto esse veículo parece robusto, com linha de cintura elevando-se de forma gradativa.

Visualmente falando, ele é um carro bonito e vem em cinco cores:

  • Azul Iron;
  • Prata Étoile;
  • Vermelho Fogo;
  • Branco Glacier;
  • Preto Nacré.

Não se pode negar que as cores são incríveis e, certamente, agradam tanto os exigentes quanto quem não se importa muito com a cor. Mas, não é só o visual que esse compacto chama atenção, não.

Entre os prós e contras do Renault Kwid, o modelo brasileiro tem como um dos pontos positivos o fato de cumprir o papel de ser quase um SUV.

Isto é, ele consegue enfrentar chão de terra, barro e lama com seus pneus finos e adequados (desde que não seja uma camada grossa).

Além disso, dificilmente o carro vai raspar no chão ao atravessar buracos ou ter dificuldade em subir rampas.

Ou seja, esse Renault tem cara de SUV, diz que é SUV, apesar de ser um hatch subcompacto, com pretensão de ser um utilitário esportivo.

Veja mais pontos positivos do Renault Kwid abaixo.

É mais econômico

Um dos pontos altos do Renault Kwid e que não pode ficar de fora da nossa lista de prós e contras é o seu consumo.

O modelo brasileiro recebeu o selo A no Inmetro, o que significa alta eficiência e economia. Com gasolina, por exemplo, o consumo é de 14,9 km/l e 15,6 km/l (cidade e estrada, respectivamente).

Já com etanol, o seu consumo estrada faz 10,8 km/l, enquanto na cidade é de 10,3 km/l.

Quer economizar ainda mais? Descubra quais são os 5 melhores pneus para economia de combustível.

Mais seguro

Um dos pontos positivos do Renault, também está na segurança do veículo, e claro, é o que muitos motoristas esperam de um carro.

Ele conta com 4 airbags, sistema ISOFIX desde a versão de entrada, além de ar condicionado, freios ABS, alerta de cinto de segurança, direção elétrica e vidros elétricos também de série.

Um ponto a acrescentar aqui é que a montadora decidiu incluir os 4 airbags e cadeirinhas Isofix por conta do fracasso nos testes de segurança na Índia, realizados pelo Global NCAP.

Por isso, a versão do Brasil pode ser um pouco mais pesada do que a versão indiana, mas nada que comprometa a leveza já conhecida dos modelos Kwid.

As versões também trazem alguns diferenciais:

  • Zen – Entradas USB e rádio com bluetooth;
  • Intense – O Kwid Intense tem tela multimídia de 7 polegadas, faróis de neblina, câmera de ré, espelhamento do celular, retrovisores elétricos e alerta sonoro e visual sobre o uso do cinto de segurança;
  • Outsider – Contém alguns adereços visuais.

Precisa contratar um seguro auto? Aqui está uma lista de seguros para você proteger seu carro e sua família.

Bom desempenho

Apesar de lento ao dar a partida, o Renault Kwid é bastante leve e ágil, graças ao seu peso (786 kg) e torque (10,0 kgfm com etanol e 9,4 kgfm com gasolina).

Isso faz com que esse hatch seja capaz de subir uma ladeira íngreme, mesmo a bordo com três passageiros.

Com velocidade máxima acima de 150 km/h, essa versão é tão rápida que pode ser comparada a veículos mais potentes.

Além disso, como o Kwid tem uma proposta mais urbana, ele é interessante em cidades com estradas mais difíceis, mas não impossíveis.

Afinal, lembre-se do que foi mencionado neste artigo; ele é bom em chão de terra e lama, desde que não seja profundo.

Tem bom preço na manutenção

Em nossa lista de prós e contras do Renault Kwid, o outro ponto positivo é que esse modelo tem uma das manutenções mais baratas do Brasil, o que contribui também para a economia do carro.

O plano da montadora para manutenção periódica inclui seis revisões de até 60 mil km, com intervalos de 10 mil cada.

O valor total não passa de R$ 4 mil, e pode ser que as únicas coisas que precisam de revisão sejam o combustível, óleo de motor e filtro de óleo.

Ampla gama de acessórios

O comprador tem à sua disposição uma ampla gama de itens para personalizar o seu carro do jeito que quiser.

São mais de 20 acessórios para configurar o modelo e ainda garantir que o seu exemplar não tenha uma cópia por aí.

O mais barato do Brasil

Não dá para falar do Renault Kwid sem mencionar que o preço é um dos maiores pontos positivos na nossa lista de prós e contras.

Partindo de R$ 59.980 na versão Kwid Zen, todos os veículos têm motor 1.0 12V, combustível flex, tração dianteira e câmbio de 5 marchas manual.

Além disso, nessa faixa de preço você tem um motor com potência de 68 a 71 cv (gasolina e etanol, respectivamente), chegando a 100 km/h em 13,2 segundos no etanol.

Em resumo, o Kwid tem três pontos positivos mais fortes desta lista: economia (preço e combustível), desempenho e segurança.

Que tal conhecer a nossa lista de carros mais baratos do Brasil? Você confere o ranking e uma análise de 7 modelos.

A seguir, vamos saber se os prós superam os contras do Renault Kwid.

Pontos negativos do Renault Kwid

Nem tudo são flores no mundo Kwid da Renault, e por isso, vamos destacar os pontos negativos na nossa lista de prós e contras do modelo.

Primeiramente, vale destacar que apesar desse modelo do Brasil ter segurança, ele tem um problema que pode afastar os compradores: ele não parece seguro.

Pelo contrário, a fragilidade é um dos pontos negativos que chamam a atenção. Isso porque o carro não inspira conforto na cabine e se mostra instável a partir dos 100 km/h.

Veja esse e outros pontos negativos do Kwid brasileiro, a seguir.

Até assistir um vídeo da marca, o Kwid mostra-se desconfortável

Já começamos esta lista com um dos pontos negativos que podem desagradar logo de cara: o desconforto.

Se você tiver mais de 1,70m, possivelmente vai se sentir apertado no banco do motorista, mas é pior ainda para quem vai atrás no carona.

Isso acontece porque o espaço interno do carro não foi feito para transportar acima de quatro pessoas, sendo um modelo ideal para solteiros ou casais sem filhos.

Frequentemente, as pessoas reclamam também da falta de regulagem do banco e da posição de dirigir para quem possui biotipo alto.

Barulho do motor, vibrações, carroceria pouco rígida e suspensão dura

Se você não se importa com barulho de motor nem com pouco espaço interno, esse carro pode ser sua próxima aquisição.

Contudo, nem todo comprador gosta de um carro que faça tanto barulho a ponto de atrapalhar uma conversa. Isso, em uma viagem longa, pode ser bastante estressante.

Como se não bastasse, as vibrações se unem ao ruído do motor, que se tornam mais intensas devido à presença de plástico no interior do carro.

Somado a isso, a carroceria possui baixa rigidez estrutural, provocando rangidos fortes ao passar por lombadas e quebra molas.

Como resultado de uma suspensão dura, o carro pula demais em vias irregulares, e isso é uma experiência bem desconfortável, ainda mais para quem não tem as condições mínimas (lê-se altura limite) para uma posição de dirigir mais decente.

Excesso de plástico

Entre os prós e contras do Renault Kwid, o ponto negativo que incomoda os proprietários desse carro é o acabamento.

A princípio, o acabamento é bonito, bem estiloso e com boa qualidade.

Porém, com o passar do tempo, o plástico se mostra com qualidade duvidosa, o que acarreta no problema que vimos no tópico anterior: ruídos intensos devido ao processo de dilatação do plástico.

Não é à toa que esse problema incomoda muita gente, justamente porque ele causa o desconforto do barulho por toda a cabine.

Perda de fôlego com carro cheio

Por fim, chegamos ao nosso último ponto negativo dentro dos prós e contras do Renault Kwid: o motor.

Apesar de ser preciso na cidade e potente para subir ruas íngremes, aqui vale o bom senso. Lembra que mencionamos sobre a capacidade de ocupantes do carro ser de 4 pessoas?

Pois bem, ele não aguenta tudo isso, ainda mais se o porta-malas estiver cheio.

Muito embora seu motor 1.0 seja leve e entregue boa partida, a Renault precisou reduzir algumas coisas durante sua adaptação, de modo a sair mais barato para o consumidor.

Por isso, a recomendação é dirigir com menos pessoas e um porta-malas mais tímido, se não quiser ver o carro perder o fôlego na estrada.

Renault Kwid: prós e contras analisados, afinal, vale a pena?

Entre os prós e contras do Renault Kwid, fica a dúvida? Vale ou não a pena comprar uma das versões do veículo?

Para responder essa pergunta, temos que destacar qual o perfil para dirigir um dos produtos dessa montadora.

Vale a pena ter um Kwid

  • Solteiros;
  • Casais sem filhos ou dois filhos pequenos;
  • Motoristas de aplicativo;
  • Pessoas que queiram o primeiro carro;
  • Usuários com vaga pequena na garagem;
  • Quem deseja um carro prático e barato;
  • Pessoas baixas e pequenas.

Não vale a pena ter um Kwid

  • Idosos;
  • Famílias grandes ou com pessoas altas;
  • Quem busca por espaço interno ou do porta-malas 290 litros;
  • Pessoas que fazem uso do carro diariamente em estradas;
  • Aqueles que detestam barulho interno.

Ficha técnica do Renault Kwid

Para você ter em mãos todas as configurações do modelo, trouxemos a ficha técnica de uma das versões Kwid para você formar sua opinião. Confere abaixo:

Mecânica

  • Motor: 1.0 flex
  • Potência: 70 cv a 5.500 rpm (e)
  • Torque: 10,0 (e) e 9,6 (g)
  • Câmbio: 5 marchas MT
  • 0-100 km/h: 14s7 (e)
  • Velocidade máxima: 156 km/h
  • Consumo cidade: 14,9 km/l (g)
  • Consumo estrada: 15,6 km/l (g)
  • Emissão de CO2: 86 g/km
  • Tração: dianteira

Dimensões

  • Comprimento: 3,680 m
  • Largura: 1,579 m
  • Altura: 1,474 m
  • Entre-eixos: 2,423 m
  • Peso: 786 kg
  • Pneus: 165/70 R14
  • Porta-malas: 290 litros
  • Tanque: 38 litros

Segurança

  • 4 airbags
  • ISOFIX
  • Freio ABS
  • Vidros elétricos dianteiros

Conforto

  • Direção: elétrica
  • Ar condicionado

Lembrando que algumas versões trazem ainda a tela multimídia de 7 polegadas, rádio e bluetooth.

Renault Kwid ou Fiat Mobi, principal concorrente: qual escolher?

Já estamos chegando ao final dos prós e contras do modelo Kwid, mas não podemos terminar sem falar da relação entre o Mobi e o Kwid.

Ambos são hatches subcompactos e concorrentes diretos na categoria, pois oferecem a maior economia do mercado brasileiro de automóveis.

Para você tirar a dúvida sobre qual deles causa mais impacto, vamos para um rápido resumo, considerando as versões topo de linha de ambas: Trekking (Mobi) e Outsider (Kwid).

Se você busca por melhor consumo e segurança…

A dica é apostar no Kwid Outsider.

Nos testes de consumo com o Mobi da Fiat, o topo de linha do modelo Kwid sai na frente, obtendo médias de 9,3 km/l e 10 km/l com etanol na cidade e estrada, respectivamente.

Enquanto que o Mobi Trekking ficou com 8,9 km/l e 10 km/l com etanol (cidade e estrada).

E no quesito segurança, o Kwid ganha de novo, porque o Mobi só conta com os sistemas de segurança obrigatório (airbags, freio ABS e ISofix). Mesmo assim, são apenas 2 airbags.

Se você busca por potência e preço…

O Mobi saiu na frente aqui, com motor Fire de 1.0 e potência de 75 cv, um pouco menor que sua concorrente. Em todo caso, ambas entregam um câmbio de 5 marchas.

Além disso, é também um pouco mais barato que o Outsider: R$ 66.046 x R$ 67.690.

Contudo, é uma diferença mínima para aqueles que buscam por carro barato, porque ambos proporcionam uma boa economia.

O que dizem sobre o modelo brasileiro do Renault Kwid?

Antes de comprar um carro novo, precisamos avaliar a ficha técnica e os prós e contras, exatamente o que você acabou de ver aqui sobre o Renault Kwid.

Mas os comentários mais comuns na época do lançamento não eram dos melhores, porque sempre esbarravam na relação Índia e Brasil.

Isto é, o fato desse modelo ter sido um fracasso nos testes lá fora, impôs a mesma imagem para o modelo brasileiro.

No entanto, o Renault Kwid ganhou 3 estrelas na avaliação do Latin NCAP, um programa independente de avaliação de carros novos para a América Latina.

Foram várias alterações para o veículo se afastar do estigma do modelo indiano e alcançar uma nota melhor.

Mas, claro que um dos maiores problemas desse veículo tem relação com barulhos do motor e dos plásticos, além da suspensão dura.

Por outro lado, é um dos carros populares mais seguros do Brasil e mais acessíveis também.

Não resta dúvida de que é um sucesso de vendas, ainda mais por ser adequado à realidade brasileira.

Afinal, entre os prós e contras do Renault Kwid, vale a pena comprar ou não?

Como vimos, tudo vai depender do que você espera do seu carro novo, até porque não existe modelo perfeito no mercado.

Então, se você é solteiro, precisa do carro para trabalhar ou fazer um passeio, mas sem gastar muito chão para chegar ao seu destino, essa versão cumpre bem o papel.

Sem dúvida alguma, entre os prós e contras do Renault Kwid, o preço é o mais barato do Brasil.

Em conjunto, você leva um carro com design bonito, consumo com boa relação custo-benefício e um dos produtos mais seguros da categoria.

Agora, se você quer pagar pouco e ter economia no combustível, mas não tem o perfil para dirigir um carro com pouco espaço interno, vale fazer um test drive.

Dessa forma, você sente a experiência de dirigir esse hatch e saber se tem ou não condições de torná-lo seu veículo por algum tempo.

Gostou de conhecer os prós e contras do Renault Kwid? Se sim, vem dar uma olhada em outro conteúdo que preparamos para você: os prós e contras do câmbio automático.

Até a próxima!