motores flex

Abastecer partida a frio: como funciona e quando fazer?

É importante abastecer partida a frio, em especial no inverno.

No artigo de hoje, aprenda tudo o que você precisa saber sobre esse sistema. Além disso, veja algumas dicas imperdíveis para cuidar dessa função do seu carro flex.

O que é sistema de partida a frio?

sistema de partida a frio
Fonte: Ricardo Vitorio (YouTube)

Há alguns anos, os automóveis movidos a etanol começaram a cair em desuso. No entanto, em 2003, a Volkswagen lançou o Gol Total Flex. Ou seja, um veículo híbrido, que funciona a gasolina e álcool.

O modelo fez sucesso e os carros flex se tornaram populares. Mas, diferente da gasolina, o etanol precisa de uma “ajudinha” para queimar à baixa temperatura. Isso porque essa substância condensa quando está a menos de 15 °C.

A partida a frio é o sistema que auxilia a queima do etanol, misturando-o à gasolina. Dessa forma, a mescla pode chegar ao motor e fazê-lo funcionar corretamente. Antes, ela passa pelo regulador de temperatura, que ajusta a quantidade de calor da mistura.

Hoje em dia, existe outra tecnologia que faz esse processo, mas sem necessidade de gasolina. O novo sistema aquece o etanol de forma eletrônica e se chama Flex Start.

Por que carros flex possuem sistema de partida a frio?

Se você quiser entender por que os carros flex precisam de partida a frio, antes é necessário saber o que é ponto de fulgor. Trata-se do momento em que um fluido, ao entrar em contato com o oxigênio e logo com uma fonte de ignição, gera uma chama, de forma breve.

A gasolina tem ponto de fulgor a -42,8ºC e o etanol a 16,6ºC. Assim, o álcool precisa de uma temperatura relativamente alta para gerar combustão. Então, é aí que entra o sistema de partida a frio.

Os carros flex têm um tanque no qual é possível armazenar gasolina para esse fim. Portanto, é crucial mantê-lo cheio e não abastecer somente com álcool.

Como funciona o sistema de partida a frio?

No começo do “boom” dos carros flex, havia somente um tipo de sistema de partida a frio. Entretanto, com o tempo, foram surgindo novas tecnologias, com outras vantagens. Por isso, veja como funcionam os sistemas de partida a frio mais comuns atualmente.

Injeção direta

Com esse sistema, o combustível e o ar chegam ao motor por meios diferentes. Enquanto o primeiro entra na câmara de combustão com alta pressão, o segundo chega por coletores de admissão.

O resultado é um aumento da pressão e, por consequência, da temperatura. Assim, essa tecnologia dispensa o tanquinho de partida a frio.

Pré-aquecimento

Uma cadeia de comandos faz com que o etanol chegue com a temperatura ideal ao motor nesse tipo de sistema. Além disso, os aquecedores de combustível se mantêm quentes mesmo depois da partida, alguns minutos.

O pré-aquecimento oferece melhor partida e direção até que o motor esteja quente. Ainda, ele não necessita de um reservatório extra para gasolina.

Tanque auxiliar

Esse é o famoso tanquinho de partida a frio, o sistema mais antigo de todos. Trata-se de um pequeno reservatório para a gasolina.

Desse modo, quando não há calor suficiente, ele mistura os dois combustíveis para facilitar a partida.

Quando abastecer o tanque de partida a frio em carros flex?

Quando abastecer o tanque de partida a frio em carros flex
Fonte: Chiptronic

Os primeiros carros a etanol, e também os flex, possuem tanque de partida a frio. Mas, muitos usuários não têm em conta que devem abastecê-lo. Assim, botam gasolina somente no tanque principal.

Nos dias mais frios, ter o tanquinho de partida a frio vazio pode causar estresse. Entretanto, não existe um intervalo específico para reabastecer.

Por outro lado, é importante que essa gasolina não permaneça mais de 3 meses sem uso. Isso porque, ao permanecer no reservatório extra, pode haver o surgimento de borras. E, com isso, entupimento de peças ou ressecamento e quebra do sistema.

Alguns veículos de fabricantes como Renault e Honda possuem uma função especial. Ela faz a gasolina circular, ainda que não seja necessário. Dessa maneira, evita que o combustível fique velho dentro do reservatório.

Como abastecer o tanquinho de partida a frio?

Em primeiro lugar, localize o reservatório auxiliar do seu carro flex. Em geral, ele fica no interior do cofre do motor. Portanto, note que o bocal do tanquinho é diferente do reservatório comum.

O tanque de partida a frio é pequeno e não costuma passar dos 2 litros. Por esse motivo, é importante ter cuidado para não deixar que a gasolina transborde.

Lembre-se de não insistir muitos segundos se o carro não ligar, quando for testar a partida, pois essa ação pode danificar o motor de arranque.

Principais cuidados com o tanque de partida a frio

Ter um carro flex é uma alternativa econômica, mas sua mecânica precisa de alguns cuidados. Isso inclui o tanquinho de partida a frio.

Apesar de nem sempre ser necessário, a falta de manutenção pode atrapalhar o arranque.

Os estragos podem ir de ter que trocar uma peça, até o reservatório inteiro. Portanto, veja o que merece cautela em relação a esse sistema.

Mantenha o tanquinho cheio

Para não ter surpresas, é importante abastecer o tanque de partida a frio com frequência. Em especial nos dias mais frios, que é quando esse sistema mais trabalha.

Use gasolina de boa qualidade

Escolha um combustível com maior durabilidade. Senão, a formação de borra no interior do reservatório pode acontecer antes de 3 meses. Assim, as melhores escolhas são gasolinas aditivadas ou premium.

Fique de olho na limpeza

Toda vez que esvaziar o tanquinho, preste atenção à limpeza. Afinal, a borra do combustível velho pode se acumular em algumas partes. Por esse motivo, certifique-se de remover qualquer impureza.

Considere alternar etanol e gasolina

Aqueles que abastecem o carro flex somente com gasolina, raramente enfrentam problemas com o tanquinho. Esse combustível não precisa do sistema de partida a frio.

No entanto, caso você use etanol puro com frequência, pode optar por abastecer também com gasolina, como forma de se preparar para os dias mais frios.

Dúvidas frequentes sobre motores flex

motores flex
Fonte: Mobiauto

O fato do carro flex funcionar com etanol, gasolina ou ambos, costuma gerar dúvidas. Por isso, confira as respostas para algumas perguntas frequentes sobre esse tipo de veículo.

Melhor combustível

Existem algumas diferenças fundamentais entre o etanol e a gasolina. Além da questão da partida a frio, é importante considerar outros fatores como:

  • Qual limpa mais o motor;
  • O que rende mais;
  • Se um gera mais desgaste que o outro.

Tendo tudo isso em conta, os dois combustíveis são bons para o carro flex. Por um lado, a gasolina rende mais e é melhor em dias frios. Por outro, o álcool mantém o motor mais limpo e tem mais potência para a estrada.

Proporção ideal

Muitos acreditam que o ideal é abastecer com 50% de cada combustível. Mas, na verdade, o motor flex deve funcionar bem com qualquer proporção da gasolina e etanol.

Troca de combustível

Existe outro fator que gera muita dúvida é a mudança de combustível. Há quem diga que não é bom utilizar somente um deles por muito tempo. Contudo, a principal questão é o tempo depois do abastecimento.

O veículo precisa circular alguns minutos até reconhecer se há gasolina ou álcool no motor. Assim, é essencial rodar alguns metros depois de abastecer e evitar parar logo depois de encher o tanque.

Não ignore o reservatório de partida a frio

Um carro com motor flex é a opção mais econômica no Brasil, atualmente. Entretanto, sua manutenção exige alguns cuidados. Em especial, os modelos mais antigos, que têm tanquinho de partida a frio.

Se esse é o seu caso, basta ficar atento ao tipo de combustível que vai usar. A princípio, abastecendo com gasolina, o reservatório não apresentará problemas com relação a isso. Por outro lado, ao usar mais etanol, é preciso checar o tanque extra com mais frequência.

É preciso ficar de olho no tempo que a gasolina fica parada no tanquinho. Desse modo, ele estará sempre em dia e pronto para ser usado quando você precisar. Afinal, não abastecer partida a frio pode te deixar a pé em algum momento.