ar condicionado do carro não gela

Ar Condicionado do Carro Não Gela: O Que Pode Ser? Quais as Causas?

Na atualidade, é muito difícil quando o ar condicionado do carro não gela.

Afinal, quem está habituado ao trânsito sabe que este recurso, além de deixar o ambiente mais agradável dentro do automóvel também colabora para o elevar os níveis de conforto tanto do motorista quanto dos passageiros.

Os prazeres e os benefícios do ar condicionado são conhecidos por todos. Porém, o problema ocorre quando o equipamento deixa de funcionar normalmente.

Pensando nisso, apresentamos, ao longo deste artigo, as principais informações para ajudar você a superar esse desafio.

Boa leitura!

Ar condicionado do carro não gela? 8 possíveis motivos

Ar condicionado do carro não gela
Fonte: Britt Auto Center

Filtro de ar

Devido ao fato de ser muito complexo, o sistema do ar condicionado pode deixar de funcionar em função de diferentes problemas, sejam mais graves ou de mais simples solução.

Caso tenha as ferramentas apropriadas – e a habilidade necessária – poderá localizar a falha e fazer os reparos em sua própria garagem.

Entretanto, há certas situações que, realmente, demandam a atuação de especialistas.

Finalmente, esses profissionais podem identificar, com precisão, o que está impedindo o seu ar condicionado de gelar.

Para evitar o risco de pagar caro por algo desnecessário, tenha em mente que o popular filtro do ar condicionado tende a ser um dos fatores centrais para o mau funcionamento do aparelho em seu automóvel.

Em conclusão, quando este filtro está entupido ou sujo, o ar condicionado do carro não resfriará.

Mas, por se tratar de uma forma de manutenção rotineira e simples, bastará ter alguns conhecimentos sobre mecânica para fazer essa troca em sua casa.

Vazamento do gás refrigerante

Quando o ar condicionado do carro não gela, é bem provável que o problema esteja diretamente vinculado à fuga do gás refrigerante. Essa situação é um pouco mais complexa, dada a dificuldade de sua identificação.

Mesmo assim, não é difícil de ser resolvida. Ela ocorre, muitas vezes, quando algumas conexões do ar condicionado estão pouco apertadas, causando esse tipo de transtorno.

Em síntese, quando a ventilação está funcionando, porém, o ar não gela, pode ser que o gás, de fato, tenha escapado. De modo geral, o sistema é hermético, logo, quando a substância acaba é porque ocorreu algum tipo de vazamento.

O ideal, nesses casos, é levar o seu carro até uma oficina mecânica da sua confiança para efetuar uma recarga do gás refrigerante e aplicar o contraste – fluído de tons fluorescentes que indicam precisamente os locais de vazamento de gás.

Compressor

O compressor do ar condicionado deve estar, a todo momento, lubrificado.

Caso contrário, o ar condicionado do seu automóvel não estará em perfeito funcionamento. Se, ainda por alguns instantes, tal lubrificação parar de ocorrer, o aparelho não irá gelar.

Esse fato ocorre por desgaste, má manutenção ou defeito. Você deve procurar o atendimento de uma oficina especializada, de modo que o sistema seja reparado o quanto antes.

As revisões no carro devem ser feitas nos períodos indicados, pois, isso garante que as manutenções sejam sempre corretas.

Dessa forma, você terá melhores condições de manter os componentes do ar condicionado funcionando apropriadamente.

Aliás, o funcionamento correto do ar condicionado depende, em grande medida, de uma boa lubrificação desse compressor.

Quando isso não acontece, a peça se desgasta em pouco tempo, podendo travar.

Como resultado, o seu ar condicionado não irá gelar. Ou seja, os profissionais a quem você entregará o serviço devem repor o líquido a cada manutenção periódica.

Por isso, é tão importante selecionar uma oficina competente e com mão de obra qualificada.

Falhas elétricas

Quando o ar condicionado do carro não gela, as falhas elétricas são motivos bastante comuns. Entretanto, elas costumam ser ignoradas – apesar de serem mais frequentes do que muitos motoristas imaginam.

Em muitos casos, o ventilador não funciona de forma adequada (ou para de funcionar), ventilando apenas internamento, isto é, deixando de expirar os ares pelas saídas do carro.

Esse processo impede que o ar resfriado pelo sistema se espalhe pelo automóvel, gerando problemas que vão desde a mera falta de refrigeração dentro do carro até a sobrecarga do sistema, que fica sem ter como enviar o fluxo de ar.

Eventualmente, a sobrecarga no sistema é uma das razões pelas quais um ar condicionada não gela. Sendo assim, as causas principais da sobrecarga (isto é, as falhas elétricas), impedem o funcionamento correto dos ventiladores.

Além disso, em vez de expelirem apropriadamente o ar pelo interior do veículo, os ventiladores o mantêm circulando apenas dentro do sistema. Como resultado, a cabina não é climatizada.

Vazamento de líquido

Caso você note a presença de uma mancha líquida, no chão, com a coloração clara (quase transparente), nas proximidades do assento do passageiro, terá um forte indício da existência de algum problema relacionado ao ar condicionado do seu carro.

Isso ocorre em função da condensação acumulada quando equipamento inicia o processo de emissão de ar frio.

Embora um pequeno escorrimento de água seja considerado normal, sempre que a quantidade é excessiva e frequente, convém ficar atento.

Raramente, esses problemas são tão graves quanto, por exemplo, vazamentos no óleo de freio.

Todavia, é preciso realizar ajustes o mais rápido possível, a fim de evitar que o ar condicionado pare de funcionar adequadamente.

Condições climáticas

Deixar, frequentemente, o automóvel estacionado sob o sol por um longo período representa uma das causas principais para que o ar condicionado de seu carro não gele.

Então, muitos motoristas tendem a ligar o ar condicionado assim que entram no veículo.

Uma vez que a temperatura no conjunto do painel ainda está bem quente, é natural que as peças plásticas que compõem o sistema não consigam realizar, eficientemente, essa troca de calor.

Em consequência, ocorre um grande choque na temperatura, levando a refrigeração a demorar mais tempo para que a climatização ideal do automóvel seja alcançada.

Por isso, as condições climáticas nunca podem ser negligenciadas.

Ventiladores

Os ventiladores elétricos dos radiadores, no ar condicionado automotivo, são outros elementos que podem prejudicar o funcionamento correto do aparelho. Esse ventilador, geralmente, pode ser encontrado ao lado da própria ventoinha do radiador.

Quando o ar condicionado do carro não gela, pode ser que a ventoinha não esteja funcionando. Consequentemente, a indispensável troca de calor é interrompida e o ar condicionado deixa de gelar.

Do mesmo modo, o ventilador interno – que fica junto ao painel – pode pifar totalmente ou apenas em certas velocidades.

Nessa situação, o melhor a fazer é recorrer a uma auto elétrica, pois, a intervenção profissional pode solucionar o problema facilmente, à medida que, na maioria das vezes, trata-se de um defeito elétrico.

Nesse sentido, para evitar complicações (principalmente, em nosso clima tropical), é indicado ligar o ar condicionado regularmente, visando manter a lubrificação no compressor e a pressão do gás, além de realizar uma higienização, pelo menos, de 6 em 6 meses.

Isso eliminará, de quebra, fungos e bactérias nocivas à saúde humana.

Troca de peças

Leve em consideração que outros componentes pequenos também podem impedir o ar condicionado de resfriar o seu carro.

Um bom exemplo disso pode ser encontrado na ventoinha do condensador que, ao ficar muito desgastada, provoca o consumo excessivo do gás que é o responsável por gelar o ar.

Defeitos na correia, problemas em relé, fusível do compressor queimado e, até mesmo, compressor com defeito, são elementos que podem ocasionar problemas.

Caso o ar condicionado do seu automóvel parar de gelar, é altamente recomendável verificar, com um mecânico de confiança, todas essas possibilidades.

De maneira idêntica, para enfrentar o tempo abafado dos dias quentes com o automóvel fresquinho, nunca se esqueça de efetuar revisões periódicas no automóvel e, sobretudo, nos componentes de seu ar condicionado.

Filtro da cabine

A princípio, o ar condicionado automotivo pode, ainda, estar funcionando de modo aparentemente normal.

Todavia, se ele perder eficiência, demorará a resfriar o carro ou não gelará a cabine como habitualmente faz. Além disso, pode deixar um odor de mofo ou de roupa molhada.

Se algo assim ocorrer, você terá um sinal claro da existência de problemas no filtro.

Essa peça – que também conhecida pelo nome “filtro de cabine” – impede que mofo, pólen, poeira, resíduos e, inclusive, pequenas folhas cheguem no sistema de climatização.

Em outras palavras, ele assegura a limpeza do ar que circula dentro do carro. As trocas do filtro podem variar de acordo com o prazo estipulado por cada fabricante, mas, em geral, os intervalos não excedem os 20 mil km.

Dessa forma, caso o seu automóvel tenha mais de 3 anos de uso e você trafega por estradas de chão, áreas poluídas ou fica muito tempo em congestionamentos, não deixe de realizar a substituição após um ano ou a cada dez mil quilômetros.

Dutos de ar

Verificar as condições em que se encontram os dutos do seu ar condicionado é essencial quando notar que o ar condicionado do carro não gela.

Nessas vias, o acúmulo de sujeira pode comprometer, ainda, o próprio funcionamento do sistema de refrigeração e o poder de resfriamento na cabine.

Quando os dutos estão impregnados por bactérias e sujeiras, o ambiente interno no carro é contaminado. Assim, os ocupantes começam a respirar um ar bastante poluído.

Ademais, o ar condicionado automotivo pode, nessas condições, forçar o trabalho do compressor, gerando uma indesejada elevação nos níveis de consumo de combustíveis.

Ventoinha do condensador

Conforme mencionado, o acúmulo de sujeiras e impurezas compromete, também, o correto funcionamento do condensador.

Esse aparelho é o responsável por apanhar o vento, retirando o calor que fica no gás – comprimido com a ajuda de um pequeno ventilador, isto é, a ventoinha.

Caso o condensador do seu carro estiver sujo devido a folhas, poeiras ou outras partículas, não haverá a livre circulação do fluxo de ar.

Esse fenômeno obstrui o movimento da ventoinha, afetando o impedindo o resfriamento no interior de seu automóvel.

E então, gostou desse conteúdo? Veja mais sobre assuntos relacionados aqui no Review Auto.