loader image

Descarte de Pneus: Saiba Tudo Sobre o Assunto e as Melhores Práticas

Proporcionar um descarte de pneus adequado é indispensável para evitar que a peça inservível degrade a natureza.

Os pneus velhos, quando não recebem uma destinação correta, contribuem diretamente para a poluição do ambiente e a contaminação dos nossos recursos naturais.

Por isso, é de fundamental importância fazer com que eles voltem para os fabricantes para ganharem novas utilidades.

O que são pneus inservíveis e para que servem?

O que são pneus inservíveis e para que servem?
Fonte: Agência Minas Gerais

Os pneus inservíveis são os pneus que já ultrapassaram sua vida útil, e não servem mais para rodar nas estradas.

Devido ao contato direto com o asfalto, é comum esse desgaste, e com o tempo as peças precisam ser devidamente trocadas.

De uma forma geral, os pneus possuem uma vida útil de 5 a 6 anos, mas isso vai depender bastante das condições às quais eles ficam expostos.

Quanto chega a hora da troca, além da segurança de sempre andar com uma peça adequada, surge também a necessidade de proporcionar um descarte de pneus adequado.

Afinal, eles prejudicam bastante o meio ambiente, e não podem ser jogados em aterros sanitários.

Algumas utilidades comuns dadas às peças inservíveis incluem fabricação de combustível, matéria-prima para artes e até asfalto.

Quanto tempo um pneu demora para se degradar?

Um pneu tem uma duração média de degradação de 600 anos, sendo um período muito longo para que ele possa ficar na natureza.

Por isso, é imprescindível que a peça ganhe um descarte correto, para não oferecer impactos ambientais diretos.

Durante esse período, ele acaba interferindo diretamente no fluxo da natureza, poluindo o espaço.

Quais as consequências do descarte de pneus no meio ambiente?

Quanto às consequências de um descarte de pneus inadequado, sem dúvidas, uma das relevantes é a proliferação do mosquito da dengue, o Aedes aegypti.

O mosquito se reproduz dentro de reservatórios de água parada, e essas peças possuem a dinâmica perfeita para isso.

De qualquer modo que um pneu for jogado na natureza, ele ficará de uma forma que permitirá o acúmulo de água. E isso fará com que o Aedes consiga colocar seus ovos tranquilamente, se proliferando com rapidez.

Outra questão importante é que o mosquito não é o transmissor apenas da dengue, mas também de doenças conhecidas como o Zika Vírus e a Chikungunya.

Na natureza, os pneus acabam gerando também a poluição dos rios e entupindo as redes de esgoto.

Fora isso, ao se degradarem, acabam liberando gases e líquidos prejudiciais ao ambiente. Assim, acabam contaminando a água e também os animais e plantas que possam entrar em contato direto.

Já dentro dos aterros sanitários, eles acabam sempre emergindo novamente para superfície justamente por seu processo de degradação. Consequentemente, eles interferem no fluxo dos aterros, e por isso não recebem esse descarte.

O ideal é que eles recebam outras formas de utilização, completando o ciclo de produção e reaproveitamento da borracha.

Quais são as principais utilizações dos pneus inservíveis?

Quais são as principais utilizações dos pneus inservíveis?
Fonte: Pisoleve

Com o correto descarte de pneus, a peça consegue ganhar muitas novas utilidades, evitando que prejudique o meio ambiente.

Essa é também uma questão de saúde pública que está diretamente relacionada com a atuação de todas as partes envolvidas, tais como Estado, fabricantes, consumidores e outras.

Ao chegar nos locais adequados de reutilização, as peças conseguem ganhar novas funções, retornando de variadas formas.

Recapeamento

A parte do pneu que realmente fica em contato com o solo é a que se desgasta com mais rapidez. Por isso, uma forma muito comum de reutilização é o chamado recapeamento.

O processo consiste em aproveitar a estrutura da peça e simplesmente colocar uma nova capa, renovando a área de contato.

Leia também sobre o que é pneu recauchutado.

Combustível em cimenteiras

O pneu conta com a característica de ser altamente calorífico, e por isso é muito utilizado como uma forma de combustível dentro dos fornos em cimenteiras do país.

Ele substitui o coque do petróleo e consegue realmente gerar uma boa utilidade dentro desse processo.

Asfalto borracha

Uma parcela dos pneus que recebem o descarte adequado vão parar também no chamado asfalto borracha.

Ele é triturado e entra como um pó dentro da massa, contribuindo diretamente para aumentar a vida útil do asfalto e diminuir os ruídos durante o contato com os carros.

Através dessa nova utilização, o pneu ajuda na própria manutenção de novas remessas de produtos, já que mantém as estradas em melhores condições.

Laminação

Alguns tipos de pneus são ideais para se transformarem em lâminas e serem aproveitadas como solas de calçados, percintas e outros.

Artefatos de borracha

Toda borracha natural consegue ser utilizada novamente em outros artefatos, como pisos de quadras, indústrias e tapetes automotivos.

Quais são as melhores práticas para o descarte de pneus?

Quais são as melhores práticas para o descarte de pneus?
Fonte: Big Tires

Depois de observar as consequências do descarte dos pneus no meio ambiente, e também das possibilidades de utilização que a peça inservível possui, nada melhor do que conferir quais as formas correta de descarte.

No Brasil, felizmente, não se trata de uma logística tão complicada, já que existem ótimas opções para dar um fim correto aos pneus.

Tudo o que é preciso é consciência por parte do motorista, para que ele dê o primeiro passo rumo ao seu reaproveitamento.

Devolver ao fabricante

Uma forma eficiente de garantir o descarte de pneus é fazendo a devolução direta para o fabricante do produto.

Afinal, embora seja uma responsabilidade mais conjunta, espalhada pelas diversas áreas da sociedade, o descarte final, por assim dizer, fica no comando da própria fabricante.

Por trabalhar justamente nessa área, ela sabe muito bem o que fazer com o material, e consegue aplicar novas utilidades para a peça.

Então, basta observar na indicação do pneu quem é o responsável pela fabricação do produto e fazer a entrega na indústria.

Essa é uma logística reversa a se fazer depois que o pneu fica inservível, e vale também para os revendedores.

Nesse caso, é preciso que se encontre exatamente os revendedores ou fabricantes da marca, para que eles deem a finalidade correta.

Deixar na borracharia

Quando se trata de praticidade e comodidade para os motoristas, a melhor alternativa para fazer o descarte de pneus é deixar na borracharia mesmo.

Assim, quando a peça já não está mais servindo para usar e é preciso fazer a troca, não há por que trazer o pneu de volta para casa.

A grande maioria das borracharias do país trabalha com essa coleta e consegue inclusive se beneficiar desse processo. Isso porque é uma forma interessante de negociar com os fabricantes e fazer a devolução de uma grande quantidade de inservíveis.

Ao fazer isso, o motorista se exime dessa responsabilidade de fazer o descarte mais adequado, e de quebra ainda consegue deixar em um espaço que irá realizar essa ação corretamente.

Utilizar na reciclagem

Quando o pneu volta para a fabricante, ela consegue utilizar os componentes dentro de alguns dos processos da produção.

Sendo assim, é realmente uma forma muito eficiente de fazer esse descarte. Mas não é a única opção acessível.

Uma maneira bem interessante também é contar com opções de reciclagem, entregando, por exemplo, para artistas que têm esses inservíveis como matéria-prima para suas artes.

Os pneus podem se transformar em bancos, cadeiras, balanços, obras de arte e inúmeras outras possibilidades.

É muito comum também que eles sejam utilizados para a delimitação de praças e jardins, enterrados pela metade.

Dessa forma, eles não conseguem acumular água e servem como um enfeite bem interessante de urbanização.

Dependendo da necessidade, é possível também brincar com a imaginação e buscar uma forma segura de reciclar em casa mesmo.

O mais importante é que ele fique disposto de uma forma que não cause a proliferação dos mosquitos da dengue.

Levar para um ecoponto

De uma forma geral, grande parte das cidades brasileiras contam com os chamados ecopontos, que são pontos de coleta voltados para os materiais recicláveis.

Portanto, caso tenha essa opção por perto, ela também é uma forma eficiente de proporcionar o descarte de pneus.

Normalmente, há uma ligação direta com a prefeitura em si, que poderá dar mais informações sobre como acontece o processo.

Os ecopontos voltam-se não apenas para os inservíveis, mas também para diversos outros materiais recicláveis e que precisam de um descarte mais adequado.

Levar para um ponto de coleta da Reciclanip

Diferentemente dos ecopontos, há também postos de coleta específicos para pneus, o que garante uma aplicação mais direta desse descarte.

Seguindo uma resolução da Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos, surgiu a Reciclanip, que atua no pós consumo dessas peças.

O serviço é uma criação das empresas fabricantes, como a Bridgestone, Continental, Goodyear, Pirelli e Michelin.

Juntas elas oferecem essa complementação do ciclo do pneu e conseguem realmente alcançar boas marcas no país.

Para se ter uma ideia, apenas no ano de 2020, a Reciclanip conseguiu dar um fim correto a mais de 42 milhões de unidades, o que equivale a 380,3 mil toneladas de pneus.

Algumas outras opções similares são a Ecycle e a Ecotires, que também conseguem oferecer um bom destino aos pneus.

Quer saber tudo sobre veículos? Então fique ligado nos nossos conteúdos!