o que é pneu recauchutado

O Que é Pneu Recauchutado? Vale a Pena? Entenda

Você sabe o que é pneu recauchutado? Será que é uma medida segura de trafegar por aí, sem oferecer riscos à sua vida ou à vida das demais pessoas na rua?

Todo motorista que já teve problemas com pneus do carro e precisou substituí-los, certamente, sentiu no bolso o valor de um novo conjunto de pneus e pensou na opção de utilizar um pneu recauchutado.

Contudo, será que utilizar esse tipo de pneu vale a pena? Afinal de contas, o que é pneu recauchutado?

Vamos descobrir em seguida.

Tipos de pneus reutilizados

O que é pneu recauchutado
Fonte: M.R. Vídeos e Tutoriais (YouTube)

Antes de entender o que é pneu recauchutado, é importante saber que existem diferentes processos para a recuperação de pneus desgastados que podem ser utilizados no seu carro, fazendo com que eles voltem a rodar, mas com uma diferença de valor significativa quando comparado a um pneu novo.

Atualmente, fala-se em 3 processos diferentes, sendo:

  • pneus recauchutados;
  • pneus remoldados ou remold;
  • e os pneus recapados.

A diferença entre cada um deles está no quanto se retira do pneu e quanto mais próximo ele fica da carcaça, bem como nos produtos utilizados.

Vamos entender cada processo?

O que é pneu recauchutado?

O pneu que passa pelo processo de recauchutagem é aquele em que a banda de rodagem e o ombro do pneu, as partes que ficam em contato com o solo, recebem um produto de borracha que recupera sua qualidade.

Nesse processo, o pneu recebe, como matéria-prima, uma borracha que recobre toda a banda de rodagem e ombros e, então, o pneu é moldado durante duas horas em altas temperaturas para ocorrer a vulcanização.

Esse processo é importante para que a borracha continue elástica, garantindo a segurança do pneu e do automóvel durante o uso.

O que é pneu remoldado?

Os pneus remoldados passam por um procedimento diferente. Agora, além de recobrir a banda de rodagem e ombro, os remoldados têm a parede lateral recoberta também.

Esse procedimento esconde informações importantes que ficam localizadas nas bandas laterais.

Portanto, ao buscar por remoldados, é imprescindível solicitar as informações desse tipo de pneu.

Inclusive, o processo de remold não é muito indicado por especialistas, e isso vale tanto para as piores marcas de pneu quanto para as melhores.

O que é pneu recapado?

O processo de recapar um pneu é parecido com o de recauchutagem. Contudo, o pneu recapado não recebe borracha nos ombros, apenas a banda de rodagem é substituída, ou seja, o lugar de maior uso.

Esse procedimento se realiza com frequência em caminhões e outros automóveis que fazem o transporte de carga.

Ele pode ocorrer a frio, que é quando se utiliza uma camada de banda de rodagem já moldada e se aplica à carcaça do pneu.

Já na recapagem quente, ocorre a vulcanização da borracha, assim como na recauchutagem.

Como esses processos afetam a qualidade e a segurança dos pneus?

Pneu recauchutados
Fonte: AutoPapo

A recauchutagem ou qualquer outra alteração nos pneus, sem dúvida, interfere diretamente na constituição deles. Afinal, a camada que recobre o pneu consiste na carcaça de pneus antigos.

Logo, os pneus que passam pelo processo de recauchutagem têm um preço bem menor, o que pode impressionar os consumidores. Contudo, sua durabilidade é reduzida em até 50%.

Em contrapartida, o pneu que é remoldado, também conhecido por remold, tem uma durabilidade um pouco maior, oferecendo uma vida útil apenas 30% menor que um pneu novo, chegando a rodar 30 mil quilômetros.

A qualidade dos pneus dependerá do local de produção deles. Isso porque existem fábricas e lojas inspecionadas e credenciadas pelo INMETRO.

Isso quer dizer que os pneus, tanto de recauchutagem, remoldagem ou recapagem, apresentam condições de segurança favoráveis para utilização no seu veículo.

No entanto, recomendamos sempre suspeitar da qualidade dos pneus recauchutados que comprar, caso não exista o selo do INMETRO.

E, claro, nem precisamos falar: nada de fazer procedimentos que envolvem uma peça tão importante do veículo no “mecânico da esquina que faz baratinho”.

Outros cuidados que o motorista precisa ter com um pneu recauchutado

Agora que você já sabe o que é pneu recauchutado e quais são as condições desse produto, chegou a hora de entender alguns cuidados necessários a todos os motoristas na hora de buscar ou comprar um pneu recauchutado.

O primeiro ponto é que o produto que passa por reformas já perdeu parte de sua vida útil, portanto, não terá o mesmo desempenho de um pneu novo.

Mas, se essa é a decisão tomada, além de conferir se o local onde você fará a compra está de acordo com as normas do INMETRO e buscar o melhor preço, lembre-se de buscar por informações como diâmetro da roda, largura e capacidade de carga.

Entender esses componentes auxilia a ter uma maior garantia de que a compra do pneu recauchutado tem compatibilidade com as necessidades do seu veículo.

E então, vale a pena utilizar um pneu recauchutado?

Bem, se você ainda não sabia o que era um pneu recauchutado, agora você já tem todas as informações.

Contudo, dizer se um pneu recauchutado ou remoldado vale a pena depende de alguns fatores, como a disponibilidade de dinheiro para troca do conjunto de pneus do veículo, se é possível encontrar pneus reformados para o seu tipo de carro e se teremos um custo- benefício interessante.

A verdade é que para os veículos, é necessário que o pneu tenha as configurações necessárias para manter todos em segurança. Mas, em pneus remoldados, pode ser que você não as obtenha e tenha que confiar no vendedor.

Além disso, a quantidade de quilometragem que um pneu recauchutado, remoldado ou recapado consegue performar não chega aos 90 mil quilômetros de um novo, portanto, talvez o baixo investimento precise ser refeito em breve.

Tudo isso pensando em carros e veículos de passeio e para perímetro urbano.

Já para veículos que transportam cargas, talvez se justifique utilizar pneus recauchutados, uma vez que o conjunto de pneus pode sair bastante caro.

Dessa forma, entender se vale a pena ou não é uma decisão bastante pessoal, que deverá levar em conta fatores financeiros, custo-benefício e a segurança das pessoas e automóveis.