Jac T40 Plus

SUV Mais Econômicos do Brasil: 11 Modelos que Valem a Pena

Conhecer os SUV mais econômicos do Brasil é de suma importância.

Afinal, este segmento tem crescido exponencialmente, tanto em termos de vendas quanto em quantidades de modelos disponibilizados no mercado.

Do mesmo modo, se você está interessado em integrar esse movimento, sobretudo nos tempos atuais (marcado pela alta dos combustíveis), é altamente recomendável ficar atento aos níveis de consumo.

Desde já, alertamos que a presente lista servirá para que você saiba quais são os SUV mais econômicos do Brasil.

Priorizamos os modelos que apresentam boas médias de consumo energético, considerado os mega joule por quilometro (MJ/Km).

Boa leitura!

Os 11 SUV mais econômicos do Brasil

1. Suzuki Vitara Turbo

Suzuki Vitara Turbo
Fonte: Motor1

Tanto quanto o modelo “S Cross”, da mesma fabricante, o Suzuki Vitara Turbo é uma das melhores opções do mercado.

Essa versão não oferece mais veículos dotados de motores 1.6 aspirados.

Acima de tudo, o Suzuki Vitara Turbo está equipado com um conjunto mecânico idêntico ao da versão supracitada e, também, é abastecido exclusivamente com gasolina.

Dessa forma, em ciclos urbanas, a média do consumo do Suzuki Vitara Turbo fica em 11,5 km/l.

Da mesma forma, em circuitos rodoviárias, esse valor sobe para meros 12,9 km/l.

2. Citroën C4 Cactus

Citroën C4 Cactus
Fonte: Quatro Rodas

A despeito de ser considerado antigo, o motor do Citroën C4 Cactus (aspirado, 1.6 e com até cento e dezoito cavalos de potência) ainda rende excelentes números de consumo.

Logo, o câmbio automático com seis marchas contribui para que o Citroën C4 Cactus conquiste médias inferiores a 8 km/l na cidade e 9,4 km/l nos ciclos rodoviários (funcionando com etanol).

Porém, quando o Citroën C4 Cactus roda exclusivamente com gasolina, apresenta médias de 13,1 km/l nos ciclos urbanos e 11,1 km/l nos ciclos urbanos.

Sem dúvida, estes são ótimos índices para os SUV com sua potência.

3. Jac T40 Plus

Jac T40 Plus
Fonte: Carros ig

Definitivamente, o Jac T40 Plus se diferencia de muitos SUVs por oferecer pedal de embreagem.

Além disso, outro aspecto a considerar deste modelo chinês é o motor 1.5, que chega aos cento e vinte e sete cavalos de potência.

Por outro lado, o Jac T40 Plus vem com câmbio manual de cinco marchas.

As médias que o modelo atinge são de 8,7 km/l em ciclos rodoviários e 8,1 km/l nos ciclos urbanos. Esses números são atingidos quando o veículo é abastecido com etanol.

De antemão, sendo abastecido com gasolina, os índices de consumo sobem para 12,8 km/l na estrada e 11,9 km/l nos ciclos urbanos.

4. Suzuki S Cross

Suzuki S Cross
Fonte: Quatro Rodas

Antes que tivesse sido praticamente “esquecido” no mercado nacional, o japonês Suzuki S Cross já oferecia predicados interessantes, como o motor turbo 1.4 de cento e quarenta e seis cavalos de potência.

Primeiramente, no entanto, outras características impressionam os especialistas, incluindo a qualidade do câmbio automático com seis marchas e o sistema integral de tração.

Frequentemente, os compradores do Suzuki S Cross ficam maravilhados com as médias de consumo: são 13,3 km/l em ciclos rodoviários e impressionantes 11,5 km/l em ciclos urbanos.

Por isso, o modelo merece seu lugar em nossa lista com os SUV mais econômicos do Brasil.

5. Honda WR V

Honda WR V
Fonte: Motor1

O Honda WR V (não confundir com o Honda HR V) é equipado com um motor flex 1.5, de até cento e dezesseis cavalos de potência.

Apesar disso, o câmbio é o CVT – que, assim como no SUV Nissan Kicks, não conta com simulação de marchas.

Enfim, esse conjunto entrega, aos motoristas, médias de consumo de 8,8 km/l em ciclos rodoviários e 8,1 km/l em ciclos urbanos, quando abastecido com etanol.

Ao optar por gasolina, o consumo sobre para 12,4 km/l em ciclos rodoviários e 11,7 km/l em ciclos urbanos.

6. Nissan Kicks

Nissan Kicks
Fonte: Motor1

Os modelos Kicks e Tracker representam os últimos SUV compactos que oferecem câmbio manual.

Diferentemente dos rivais, entretanto, a economia advém da transmissão automática CVT e, ainda, das relações contínuas, isto é, desprovidas de simulações de marchas.

Enquanto o motor do Nissan Kicks é o flex 1.6 (chegando aos cento e catorze cavalos de potência), as suas médias são de 9,3 km/l nos ciclos urbanos e 7,6 km/l nos ciclos rodoviários com etanol.

Ao ser abastecido com gasolina, o SUV faz 13,6 km/l nas estradas e 11,3 km/l nos trechos urbanos.

7. Toyota Corolla Cross

Toyota Corolla Cross
Fonte: Motor1

Ao passo que, mesmo que não consideremos as configurações híbridas, o Toyota Corolla Cross permanece como um dos SUV mais econômicos do Brasil.

Desde que foi lançado, os consumidores encontram, à sua disposição, um motor flex 2.0 de até cento e setenta e sete cavalos de potência, além de câmbio CVT dotado de simulação de dez marchas.

Segundo estimativas oficiais, o consumo do Toyota Corolla Cross é de 9 km/l em ciclos rodoviários e 8 km/l em ciclos urbanos. Com gasolina, o veículo entrega 12,8 km/l nas estradas e 11,5 km/l nas cidades.

Conforme mencionado, apesar de não o compararmos aos modelos tradicionais, é imprescindível ressaltar que o Toyota Corolla Cross combina eletricidade e combustão, sendo um dos SUVs mais acessíveis e com os melhores resultados de vendas do país.

8. Chevrolet Tracker 1.0 Turbo

Chevrolet Tracker 1.0 Turbo
Fonte: Motor1

A despeito de o Onix Plus ser tido, por muitos especialistas, um dos SUVs mais econômicos, o Chevrolet Tracker 1.0 Turbo também se destaca. Simultaneamente, ele disponibiliza uma configuração rara.

Nesse sentido, o Chevrolet Tracker 1.0 Turbo atinge cento e dezesseis cavalos de potência, com um câmbio manual dotado de seis marchas.

As médias (com etanol) de consumo são de 9 km/l em ciclos urbanos e de 10,4 km/l em ciclos rodoviários.

Como resultado, com gasolina no tanque, o modelo chega aos 14,8 km/l nas estradas e 13 km/l nas cidades.

A versão automática do mesmo modelo, embora não seja facilmente encontrada junto ao mercado, é uma das mais vendidas. Nesta, o mesmo motor é articulado a um câmbio de seis marchas automático.

Nesse caso, as médias são de 8,2 km/l nos trechos urbanos e de 9,2 km/l nas estradas — com etanol.

Com gasolina, as médias são de 13,7 km/l nos trechos rodoviários e de 11,9 km/l nas cidades.

9. Volkswagen T Cross

Volkswagen T-Cross
Fonte: Motor Show

De acordo com as informações divulgadas pela montadora, o Volkswagen T Cross atinge cem quilômetros por hora em menos de onze segundos, com velocidade máxima de cento e oitenta e cinco quilômetros por hora.

Assim também, o Volkswagen T Cross apresenta um consumo de 9,2 km/l nos ciclos rodoviários e 7,5 km/l nos ciclos urbanos com etanol.

Utilizando gasolina, o modelo propicia 13 km/l nas estradas e 11 km/l nas cidades.

Todavia, o Volkswagen T Cross 250 Automático TSI acelera de zero a cem quilômetros por hora em apenas nove segundos, atingindo cento e noventa e cinco quilômetros de velocidade máxima.

Esta versão apresenta 9 km/l nos ciclos rodoviários e de 7,4 km/l nos ciclos urbanos com etanol.

Assim, ao abastecer com gasolina, o veículo faz média de 13 km/l nas estradas e 10,5 km/l nas cidades.

A princípio, o Volkswagen T Cross, em relação à revisão e à manutenção, oferece aos consumidores o excelente programa chamado “Revisões de Série”.

Esse recurso inclui as 3 primeiras revisões do veículo (trinta mil quilômetros rodados ou até três anos), sem quaisquer custos adicionais aos proprietários dos SUV.

10. Hyundai Creta

Hyundai Creta
Fonte: Motor Show

Em primeiro lugar, uma das principais inovações do Hyundai Creta pode ser encontrada na linha de motores.

Às vezes, os motoristas se empolgavam com o fato de que, anteriormente, o SUV utilizava somente o propulsor 1.6. Agora, entretanto, a linha conta com 2 novos conjuntos.

Para que você entenda, 3 das 4 versões do Hyundai Creta utilizam o motor turbo 1.0 GDI, que conta com 3 cilindros e injeção direta.

Além disso, o veículo sempre entrega cento e vinte cavalos de potência, seis mil rotações por minuto (o torque, a mil e quinhentas rotações por minuto é de 17,5 kgfm).

Em síntese, o motor do Hyundai Creta se associa a um câmbio automático de 6 marchas.

Agora, a versão “Ultimate” (topo de linha) é a única que usa o motor 2.0 Smartstream que, além de ser aspirado, passou por diversas inovações sempre ressaltadas pela Hyundai.

Analogamente, a versão Ultimate do Hyundai Creta vem com cento e cinquenta e sete cavalos de potência (motor a gasolina) e cento e sessenta e sete cavalos de potência (motor a etanol).

11. Caoa Chery Tiggo

Caoa Chery Tiggo 8
Fonte: Motor1

Eventualmente, você encontrará na internet as melhores indicações possíveis acerca do Caoa Chery Tiggo.

Não podia ser diferente, pois o consumo do SUV é de 8,6 km/l nas estradas e de 7,7 km/l nas cidades quando o veículo é abastecido com etanol.

Ao ser abastecido com gasolina, as médias do Caoa Chery Tiggo são de 12,3 km/l nos ciclos rodoviários e 10,9 km/l nos ciclos urbanos.

Por último, esses índices demonstram uma melhoria considerável em relação, por exemplo, ao Caoa Chery Celer, que utiliza o mesmo motor.

Afinal, isso serve para comprovar que a montadora, efetivamente, priorizou esse aspecto tão importante.

Em suma, o Caoa Chery Tiggo, mesmo assim, consome um pouco mais de combustível do que alguns de seus concorrentes diretos, como o mencionado Jac T40 Plus.

De maneira idêntica, se considerarmos a transmissão automática com 4 marchas, os números são ainda mais desfavoráveis ao Caoa Chery Tiggo.

Pouco antes de se decidir pela compra, fique atento aos níveis de consumo.

Em relação ao consumo: 6,9 km/l nos ciclos urbanos e 8,2 km/l nos ciclos rodoviários — ao ser abastecido com gasolina.