Melhores Caminhonetes: 8 Modelos Que São Ótimos

Dentre as melhores caminhonetes existem, atualmente, 2 modelos mais populares: as SUVs e as picapes.

A despeito de muitos consumidores pensarem que se trata de veículos semelhantes, atendendo a um mesmo tipo de cliente, na realidade há diferenças fundamentais entre uma SUV e uma picape.

Ou seja, você deve considerar essas diferenças antes da decisão de compra.

Isso ocorre porque as SUVs tendem a priorizar o conforto de condutores e passageiros. Logo, propiciam maior espaço interno e uma ampla gama de recursos destinados à segurança.

Por outro lado, as picapes têm foco nos cenários de trabalho, no oferecimento de resistência e capacidade no transporte de carga.

Pensando nisso, apresentamos, ao longo deste artigo, as 8 melhores caminhonetes e, ainda, informações relevantes para ajudar você a se decidir pela melhor alternativa de aquisição do modelo pretendido.

Boa leitura!

Conheça as 8 melhores caminhonetes da atualidade

1. Toyota Hilux

A Toyota Hilux é considerada uma caminhonete clássica, sendo cobiçada devido ao seu modelo arrojado.

A fabricante japonesa conta com uma longa tradição na criação de veículos resistentes e, ao longo dos anos, tem se consolidado no imaginário de todos os que apreciam uma boa caminhonete.

Imediatamente, ao adquirir uma Toyota Hilux a diesel, você terá um modelo com duzentos e quatro cavalos de potência.

A versão de 2021 traz novidade do motor a diesel 2.8, com melhorias na suspensão, no conforto de condutores e passageiros e, também, na direção.

Como resultado, os preços médios giram em torno de R$ 195 mil – valor que muitos consideram “salgado”.

Porém, a quantia faz sentido quando observamos os altos níveis de conforto, potência e robustez – sobretudo, no modelo com tração nas quatro rodas, que foi lançado para ser capaz de encarar quaisquer tipos de obstáculos.

Na condição de caminhonete com os melhores resultados em vendas no Brasil, a linha 2021 da Toyota Hilux teve mudanças, incluindo um facelift que deixou o modelo com um design mais moderno.

Além disso, o motor turbo diesel da Toyota Hilux foi ajustado para entregar vinte e sete cavalos de potência adicionais.

O amplo leque das versões oferecidas ao consumidor destaca-se, ainda, por elementos como tração, câmbios e motores.

Primeiramente, a Toyota Hilux disponibiliza versões com motor turbo diesel 2.8 ou flex 2.7; câmbio automático ou mecânico e tração 4×4 ou 4×2.

Somadas a esses aspectos, ressaltamos as 2 configurações com cabines simples.

Apesar de todas as versões da Toyota Hilux usarem uma mesma configuração mecânica, elas figuram como as únicas caminhonetes no mercado brasileiro que oferecem 2 versões de cabine simples e outra provida de caçamba padrão.

2. Chevrolet S10

A Chevrolet S10 é muito conhecida pelos consumidores brasileiros.

Afinal, desde a década de 1990, a fabricante estadunidense tem investido nesse modelo para atender as necessidades de quem busca por caminhonetes com boa relação entre custo e benefício.

Na versão 2021 da Chevrolet S10 as novidades ficam por conta da conexão Wi Fi, com acesso a sistemas como Apple Car Play e Android Auto sem, para tanto, demandar a necessidade de usar quaisquer tipos de cabos de conexão.

No que tange à segurança, a Chevrolet S10 também se destaca com um sistema autônomo de frenagem de emergência, capaz de fazer com que o veículo pare sempre que passar por situações de risco – como possibilidades de colisão ou pedestres atravessando indevidamente as ruas.

No entanto, para que esse recurso funcione de modo efetivo, a Chevrolet S10 necessita estar em movimento. Isto é, em uma velocidade entre 9 km/h e 90 km/h.

O valor de entrada parte de uma média de R$ 126 mil – versão Ecotec Advantage 2.5.

Entretanto, se você deseja uma Chevrolet S10 mais potente e robusta, terá que desembolsar algo em torno de R$ 220 mil – versão High Country com motor a diesel 2.8.

Similarmente, esses aspectos ajudam a compreender os motivos que fazem da Chevrolet S10 a segunda caminhonete com o melhor resultado em vendas no Brasil.

Linha 2021

A linha 2021 trouxe mudanças relevantes em seu visual e equipamentos, sobretudo, naqueles destinados ao aprimoramento da segurança e da tecnologia.

Diferentemente da Toyota Hilux, essa caminhonete manteve os motores utilizados em fabricações anteriores, quais sejam, o motor turbo diesel 2.8 e o flex 2.5.

Analogamente à sua concorrente principal, a Chevrolet S10 proporciona um amplo leque de versões dotadas de 2 motorizações, 2 versões com cabine simples, transmissão automática ou manual e tração 4×4 ou 4×2.

Como resultado, o projeto que a fabricante entrega aos consumidores se mostra, de certo modo, mais agradável e bem resolvido que o de sua concorrente. Atualmente, as alterações transcendem os aspectos estéticos.

Sobretudo, as mudanças atingiram todos os equipamentos de tecnologia e segurança (que originalmente chegaram ao mercado com o modelo Chevrolet Onix), com destaque para os seis airbags, o sistema de segurança e a internet nativa presente no kit multimídia da caminhonete.

3. Fiat Toro 2021

A caminhonete Fiat Toro 2021 é menor, contudo, bem mais barata do que as suas principais concorrentes. Ademais, o veículo tem ao seu favor uma lista ampla de equipamentos.

A Fiat garantiu que o modelo fosse mais leve do que as outras caminhonetes.

Para isso, portanto, usou motores de tamanho reduzido, com versões de entrada e uma alternativa intermediária com câmbio manual e motor flex 1.8.

Atualmente, os consumidores podem escolher, também, uma versão com câmbio automático de seis marchas (que, aliás, está disponível em ambas as opções).

A diferença é que o motor flex da Fiat Toro 2021 sempre terá tração dianteira, ao passo que estão equipadas com motor turbo diesel 2.0 de cento e setenta cavalos de potência, câmbio automático de nove marchas e tração nas quatro rodas.

Nesse meio tempo, o top de linha da Fiat Toro 2021 propicia 3 alternativas de acabamentos exclusivos.

Um deles oferece um design mais luxuoso.

Outro, um aspecto rural – com bancos bicolores (bege e marrom) em couro, santo Antônio e detalhes que conferem o aspecto de veículos tipicamente aventureiros.

Por fim, a última versão topo de linha conta com capota marítima, trazendo uma série de equipamentos tão vasta quanto nas demais versões da Fiat Toro 2021.

Juntamente a isso, a fabricante italiana se mantém bem posicionada junto ao mercado.

Boa opção de primeira compra

Com a Fiat Strada, a marca atrai muitos clientes que almejam investir na sua primeira caminhonete.

Porém, que procura por modelos mais robustos deverão, certamente, priorizar a Fiat Toro 2021, à medida que ela possui controle de tração e estabilidade, volante multifuncional, assistente de subidas e central multimídia.

Em função dessa flexibilidade, a Fiat Toro 2021 entrou no ranking das caminhonetes mais vendidas no território brasileiro.

A versão Endurance, equipada um motor 1.8, custa, em média, R$ 130 mil.

A Ultra TDI 2.0 é a versão top de linha e mais esportiva, com câmbio automático e tração nas quatro rodas, chegando ao valor aproximado de R$ 195 mil.

4. Mitsubishi L200 Triton

A gigante Mitsubishi foi, também, reduzindo as opções oferecidas pela sua caminhonete com o passar do tempo.

Desse modo, chegou à linha de 2021 com 5 versões, todas equipadas com um motor turbodiesel 2.4 de cento e noventa cavalos de potência.

Apenas a sua versão de entrada possui câmbio manual.

Igualmente, as versões top de linha, como a Mitsubishi L200 Triton são vendidas, também, sob encomenda – a exemplo da linha “Sertões”.

Bem como acontece em outros modelos, todas as caminhonetes da linha 2021 possuem tração integral.

Seus preços partem de, aproximadamente, R$ 193 mil.

5. Nissan Frontier

A Nissan Frontier tem no conforto um dos seus pontos fortes, em uma linha de versões mais “enxuta” para o consumidor.

Os veículos de 2021, por exemplo, apresentam motor turbo diesel 2.3 e tração integral.

Raramente, a presença de um motor único turbo entrega aos consumidores um conjunto do tipo da Nissan Frontier.

A caminhonete dispõe, como versão de entrada, do câmbio mecânico de seis marchas. As outras versões, por exemplo, utilizam 2 turbos em motor 2.3, gerando uma diferença de trinta cavalos de potência.

Portanto, a Nissan Frontier alcança, com esse motor, uma potência máxima de cento e noventa cavalos – sempre equipada de câmbio automático com sete marchas.

Há mais de vinte anos no mercado brasileiro, ela tem enfrentado bravamente as suas concorrentes.

Tanto que, na versão 2021, a Nissan Frontier foi repaginada, adquirindo um aspecto mais agressivo, bastante similar ao da Nissan Titan – comercializada nos Estados Unidos.

Ao seguir a mesma linha de modelos como o Kicks e o Versa, a Nissan Frontier conta com um novo design interno e uma central multimídia totalmente diferente.

Além disso, os consumidores podem escolher entre câmbio manual de 6 marchas ou, se preferirem, o câmbio automático de 7 marchas.

Os preços, em geral, variam de R$ 208 mil a R$ 250 mil.

6. Volkswagen Amarok

A Volkswagen Amarok é uma das caminhonetes mais potentes no mercado, conquistando o público interessado em veículos que unem conforto e potência.

A Comfortline (a versão de entrada) vem com um motor TDI 2.0 de cento e oitenta cavalos de potência. Isso significa uma potência superior à da concorrência.

A Volkswagen Amarok possui interessantes itens de série, tais como os sensores de estacionamento (traseiro e dianteiro).

Outros itens de série interessantes são a indicação da pressão dos pneus, os ajustes elétricos nos bancos dianteiros e o ar condicionado digital.

Por exemplo, a versão 2.0 retornou à produção no ano de 2021, depois de 2 anos fora de linha.

Para ter uma Volkswagen Amarok na sua garagem, o seu investimento mínimo (considerando modelos 0 km) será de cerca de R$ 260 mil.

As pessoas que buscam por uma Volkswagen Amarok mais potente poderão selecionar a versão V6 3.o, com um motor de duzentos e cinquenta e oito cavalos de potência – caso das versões Extreme e Highline, cerca de R$ 300 mil e R$ 284 mil, respectivamente, em média.

Assim como as principais concorrentes no mercado, a Volkswagen Amarok investiu em mudanças relevantes na linha 2021. Todavia, a montadora alemã reduziu drasticamente as suas versões.

Esse processo tem ocorrido em decorrência do fenômeno que, segundo a Volkswagen, pode ser chamado de “SUVização”, a prioridade dada ao lançamento de SUVs.

Ao contrário do que muitos analistas esperavam, a Volkswagen Amarok passou a ser comercializada apenas em 2 versões.

Com isso, manteve o posto de motor mais potente entre as caminhonetes das grandes montadoras.

Considere que motor V6 turbo diesel 3.0 entrega duzentos e setenta e dois cavalos de potência, assim como a função Overboost.

Todos os veículos são equipados com um câmbio automático de 8 marchas e tração nas quatro rodas.

7. Ford Ranger

A exemplo de suas principais concorrentes, a Chevrolet S10 e a Toyota Hilux, a Ford Ranger entrega uma ampla gama de conjuntos mecânicos e de versões.

Todavia, o motor turbodiesel está presente tanto nas opções menos potentes (equipando as versões intermediárias e as versões básicas) quanto nas mais potentes (das versões top de linha).

Na Ford Ranger, portanto, um motor turbo diesel 2.2 com o máximo de cento e sessenta cavalos de potência, é comercializado com câmbio automático de seis marchas ou câmbio manual.

A tração é 4×4 ou 4×2. Vale lembrar que esse motor equipa, também, as versões únicas com cabine simples do veículo na linha 2021.

Você pode encontrar outras opções top de linha com motor turbo diesel 3.2 com o máximo de duzentos cavalos de potência.

À primeira vista, os consumidores podem se impressionar com o fato de que tais alternativas estão sempre dotadas de tração 4×4 e câmbio automático de seis marchas.

A Ford Ranger, na nova versão de seu modelo clássico, priorizou um design mais agressivo, apostando somente nas versões movidas a diesel.

Essa versão tem 7 airbags, rodas pretas de dezoito polegadas, controles de tração e estabilidade e assistente para partida em rampas.

Os modelos mais recentes, nomeados de “Ford Ranger Black”, possuem motor turbo diesel 2.2 de cento e sessenta cavalos de potência, com tração 4×2 (traseira) e preços médios de R$ 180 mil.

Em síntese, quem almeja um modelo com tração integral e pronto para encarar quaisquer desafios, é altamente recomendável investir na versão a diesel XLS 2.2 (que custa cerca de R$ 204 mil).

A versão “Ford Ranger Limited Diesel”, por sua vez, vem com tração 4×4 automática e motor 3.2, chegando a custar cerca de R$ 260 mil.

8. Dodge RAM 1500

Embora a caminhonete Dodge RAM 1500 seja um modelo amplamente conhecido no mercado, ele só começou a ser vendido no Brasil, oficialmente, a partir do ano de 2021.

Desde que estreou, a Dodge RAM 1500 obteve excelentes resultados de vendas. De fato, o modelo se esgotou logo no período definido para a sua pré-venda!

Tal qual outras caminhonetes, ela surgiu para competir com a Volkswagen Amarok, a Ford Ranger e a Chevrolet S10.

Pouco depois, os consumidores apreciaram o fato de que a Dodge RAM 1500 possui um tamanho maior de caçamba, com cerca de sessenta centímetros a mais do que suas concorrentes diretas. Isso permite o transporte de uma quantidade superior de materiais.

Tanto quanto a potência, essa caminhonete se popularizou, também, por seu motor 5.7 com quatrocentos cavalos de potência, pelo câmbio automático de oito marchas e pela possibilidade de acelerar de 0 a 100 km/h em meros 6 segundos (vale mencionar que sua velocidade máxima é de 174 km/h).

A Dodge RAM 1500, com todos esses aparatos, apresenta-se, portanto, como um dos mais caros modelos de caminhonetes disponíveis no mercado brasileiro, podendo custar, em média, cerca de R$ 400 mil.

Dicas para comprar a caminhonete ideal

Os consumidores compram um determinado tipo de veículo pelos mais variados motivos: satisfazer necessidades pessoais, obter renda extra etc. Desse modo, os automóveis podem facilitar distintos tipos de atividades.

Quando estiver se preparando para adquirir uma caminhonete, é crucial levar em consideração certas características.

Portanto, apresentamos, a seguir, excelentes dicas que ajudar você a realizar uma compra bem informada. Confira!

Materiais transportados

Sempre que você utilizar a caminhonete para realizar o transporte de diferentes tipos de materiais, o mais importante é entender quais itens são esses.

A carga, por exemplo, de uma determinada quantidade de materiais, deixará o veículo mais pesado.

Porém, será que você necessita de uma caçamba extremamente ampla para a execução das suas atividades profissionais?

Um bom modo de realizar essa análise reside na consideração das mercadorias que pretende carregar, considerando os modelos que melhor atendam à sua necessidade.

Distância percorrida

A distância é um fator de grande importância na hora de escolher a caminhonete ideal.

Sempre que chega o momento de abastecer, os condutores se dão conta de que não adianta de nada ter um veículo grande que consome bastante gasolina, comprometendo seriamente as suas economias.

Esse prejuízo pode ser ainda maior quando o motorista depende do carro para trabalhar.

Caso você tenha o hábito de viajar com sua caminhonete (principalmente em longas distâncias), pesquise pelos modelos mais econômicos no mercado e considere a quantidade de mercadorias que serão transportadas.

Características das estradas

Caso você precise dirigir por muitas estradas esburacadas com a sua caminhonete, é altamente recomendável selecionar um modelo capaz de aguentar o tranco.

Logo depois de adquirir, por exemplo, algum dos veículos com tração nas quatro rodas, notará que eles são excelentes para esses desafios.

Principalmente, porque muitas dessas caminhonetes propiciam altos níveis de conforto aos seus passageiros, até mesmo, nas estradas e vias mais complicadas para dirigir e manter a estabilidade em altas velocidades.

Passageiros

A quantidade de passageiros que serão geralmente transportados é um fator de extrema importância na escolha da melhor caminhonete.

Essa reflexão deve se basear em sua rotina – não em ocasiões especiais, à medida que a rotina é o mais importante.

Desse modo, considere que há muitas caminhonetes capazes de transportar, de forma confortável, até 7 passageiros.

As picapes, mesmo quando contam com cabines duplas ou estendidas, podem levar, no máximo, 6 passageiros. No entanto, para famílias grandes, elas podem não ser as melhores escolhas.

Logo após, o conforto deve ser considerado ao escolher um veículo, sobretudo, no caso de indivíduos habituados a utilizá-los para viagens mais longas.

Apesar de as caminhonetes terem evoluído bastante nesse sentido, os SUVs, por exemplo, ainda representam as melhores opções.

Isso ocorro porque muitos modelos de caminhonete ainda têm sua projeção feita com base nas rotinas de trabalho.

Logo, sua capacidade de transporte de cargas é priorizada, fazendo com que o conforto fique em segundo plano.

Ainda assim, isso não significa – necessariamente – desconforto.

Resistência do modelo

Apesar de existirem muitas caminhonetes disponíveis no mercado, é altamente recomendável investir nos modelos mais resistentes – ainda que você gerencie o próprio negócio e projete alguma expansão.

As manutenções periódicas podem gerar custos maiores que o esperado, logo, vale a pena apostar em veículos que resistam bem por cerca de 5 anos.

Isso é melhor do que trocar de caminhonete a todo momento, sobretudo, para suprir necessidades relacionadas ao trabalho.

Possibilidade de revenda

O setor de caminhonetes, a despeito da crise econômica, é um dos poucos que é capaz de gerar valorizações para seu veículo.

Segundo uma recente pesquisa – que analisou mais de cinquenta modelos, as picapes seminovas passaram por uma valorização de quase 20% no último período.

Além da lógica clássica de demanda e oferta, outro elemento que colabora para essa valorização é a escassez dos semicondutores, que vem diminuindo consideravelmente as produções dos veículos da maior parte das fabricantes, configurando-se como um fenômeno mundial.

Um bom exemplo disso pode ser encontrada na Ford Ranger 2.2 XLS (com tração nas 4 rodas) que teve uma valorização superior aos 30% nos últimos dois anos.

Isto é, o modelo poderia ser comprado por cerca de R$ 126 mil em 2020 e vendido, um ano depois, por algo em torno de R$ 167 mil – uma elevação de R$ 41 mil!

Logo, confira a elevação dos valores ao longo dos anos, ficando sempre atento à tabela Fipe, a fim de compreender quais modelos têm os maiores níveis de valorização.

Essa medida pode levar a uma boa transação futura, caso você se interesse por trocar ou vender a sua caminhonete.

Considere a opção de comprar por consórcio

Certamente, você já percebeu que existem os mais variados tipos de caminhonete, não é mesmo?

Caso deseje trafegar bastante com o seu veículo, você poderá optar por algum modelo que seja mais econômico.

Porém, se você almeja a robustez necessária para encarar as estradas difíceis, os modelos maiores são capazes de atender a isso, embora seja preciso desembolsar uma quantia maior.

Constantemente, um número cada vez maior de consumidores se dá conta de que, independentemente do modelo desejado, o consórcio acaba sendo o melhor método para investir em uma caminhonete nova.

Acima de tudo, o consórcio é bastante diferente das compras à vista, pois, você não necessita dispor do valor completo para realizar a sua aquisição.

Em comparação a outras formas, tais como os financiamentos, os consórcios representam uma solução mais vantajosa, dada a inexistência de valores de entrada e de juros.

Anteriormente a essas facilidades, ressaltamos que você não sairá com a caminhonete “na hora” – como ocorre em outras modalidades – porém, conseguirá programar a sua aquisição, visando pagar um valor mais justo e a prazo.

Entenda como funciona um consórcio

A primeira etapa para a realização de um consórcio pode ser exitosa quando você tem em mente qual será o modelo de caminhonete que desejará comprar.

Isso não implica a necessidade de saber, de antemão, o valor exato de sua compra.

Ou seja, basta ter uma ideia da quantia pretendida, pois já será o bastante para realizar a primeira etapa. Isto é, o processo que o levará à simulação.

Definitivamente, a primeira medida que você deve tomar é escolher uma administradora de consórcios que tenha a devida autorização do Bacen (Banco Central do Brasil) para operar.

Você pode consultar uma lista completa no site oficial da instituição.

Desse modo, apenas organizações autorizadas podem estabelecer compromissos como a entrega de cartas de crédito ou a realização de processos que envolvam a contemplação de bens.

Depois de identificar os valores necessários para efetuar a sua compra, o passo seguinte consistirá em simular o consórcio de automóveis.

Em contrapartida, muitos modelos de caminhonetes são comercializados em quantias que excedem os limites tradicionais das cartas de crédito.

Valores

Se você estiver interessado na aquisição de um veículo com valores superiores, não se preocupe: é possível investir, simultaneamente, em mais de 1 conta.

A determinação do valor exato da carta de crédito acontece em meio ao processo de simulação.

Não se esqueça, todavia, que essa quantia corresponderá, sempre, ao preço total da caminhonete.

A quantidade das parcelas que você está disposto a pagar também se define nesse processo.

Consequentemente, o simulador demonstra a divisão desses valores (acrescentando eventuais taxas de consórcio e de administração – que visa remunerar as empresas de consórcio de acordo com os serviços realizados) e o chamado “fundo de reserva”.

Esse fundo servirá como uma garantia, a fim de que a falta de pagamento de alguns integrantes venha a comprometer todo o grupo no momento em que os seus integrantes receberão as respectivas cartas de crédito.

Com a simulação realizada, um profissional especializado em consórcios entrará em contato com você.

Então, ele vai explicitar todos os pormenores e de entregar o contrato que formaliza a sua adesão.

Essa será a ocasião ideal para negociar, se for o caso, mais do que uma cota na compra da sua caminhonete.

Não se esqueça de que, ainda que você chegue ao valor desejado, a soma de todas as mensalidades não poderá exceder, por força de lei, 30% de seus rendimentos mensais.