Motor 2JZ Toyota Supra

Motor 2JZ: Vale a Pena? Vantagens e Desvantagens

Se você gosta de carros, já deve ter ouvido falar muito no motor 2JZ, mas será que ele vale a pena?

Conhecer as vantagens e desvantagens e saber um pouco mais sobre esse motor vai ajudar você a descobrir se realmente é um bom investimento.

No artigo que o Review Auto preparou hoje, você vai poder conferir as principais informações, bem como as vantagens e desvantagens que ele tem.

E então, preparado para saber mais sobre o 2JZ? Boa leitura!

Conheça o motor 2JZ Toyota Supra

Motor 2JZ Toyota Supra
Fonte: InstaCarro.com

O motor 2JZ é um dos mais icônicos da Toyota, grande fabricante japonesa. Ele é um motor desenvolvido com 6 cilindros em linha, tem cabeçote duplo e de duplo comando com quatro válvulas.

Além disso, ele conta com injeção eletrônica e tem compatibilidade com aceleração eletrônica. Essas informações são da versão de base.

O modelo começou a ser fabricado nos anos 1980, quando a Nissan havia lançado motores RB.

Como resposta comercial, a empresa iniciou a linha 2JZ Toyota Supra  e fez modificações e melhorias ao longo dos anos.

Com toda potência, evolução e eficiência, ele nunca deixou de ser procurado, mesmo agora que já não está mais em fabricação.

Isso revela o diferencial que ele tem e a forma como as pessoas que atuam nesse mercado enxergam o Toyota Turbo.

O último modelo fabricado foi no início dos anos 2000. Para saber as vantagens e desvantagens que esse motor tão famoso tem, é preciso fazer uma análise um pouco mais detalhada entre as versões.

Isso porque, ao longo dos anos de fabricação, ele sofreu várias alterações, melhorias e mudanças significativas. Nem todas para melhor, aos olhos de críticas técnicas.

Sendo assim, para encontrar os pontos positivos e negativos, precisamos verificar toda a linha evolutiva e criar uma análise geral de um dos motores que ficou para a história da montadora e do mercado de carros mundial.

Motor 2JZ: ficha técnica

Para você conhecer ainda mais detalhes, a ficha técnica tem papel fundamental. Nesse sentido, ele é movido à gasolina, com motor em linha de 6 cilindros e 2997 cm³.

Além disso, conta com 24 válvulas, aspiração turbo, taxa de compressão de 8.5 e tração RWD.

O câmbio é manual com 5 marchas, bem como conta com autonomia de 727 km e um consumo misto de 11 litros por 100 km.

Por fim, o volume do tanque de combustível é de 80 litros.

Quais são as versões do motor 2JZ?

A linha de motores 2JZ tem algumas versões que podem ser encontradas com maiores detalhes no YouTube, como a versão de base, que era o 2JZ GE aspirado.

Depois veio o 2JZ GTE, também o 2JZ GTE com VVTI e, por fim, a versão FSE. Ou seja, no total, há quatro motores na linha 2JZ.

O grande reconhecimento e a popularidade que ele tem até hoje, mais de 20 anos depois do encerramento das produções, é graças ao 2JZ GTE – que não é a versão final, mas é a preferência de muitos preparadores até os dias de hoje.

Motor 2JZ GE aspirado

As vantagens do 2JZ GE aspirado estão, principalmente, na injeção eletrônica e na potência de 230 cavalos que ele recebeu.

Em contrapartida, ele tem como desvantagens a questão de ter um distribuidor normal, além de apresentar eficiência na refrigeração dos pistões e na parte de refrigeração das peças do bloco.

Porém, essas desvantagens são mais observadas quando o motor é turbinado, o que é algo comum, pois quem adquire esse tipo de modelo mais antigo geralmente é para turbinar e fazer melhorias.

Motor 2JZ GTE

O 2JZ GTE, em comparação com a versão de base, tem cabeçote retrabalhado, intercooler e pistão forjado. Além disso, na ficha técnica você pode ver que é biturbo, sendo um grande diferencial.

Nesse sentido, a versão também conta com algumas vantagens, sendo as principais a menor taxa de compressão e a melhor capacidade de lubrificação dos pistões.

Além disso, ele tem a vantagem também de ter mais cavalos de potência, pois conta com 320 cv na versão dos EUA.

Em outros locais a potência pode mudar conforme acordos de exportação, como no caso de países da Europa que receberam o motor com 325 cv.

Motor 2JZ GTE com VVTI

Na versão com VVTI, o GTE tem a vantagem de contar com maior capacidade de respostas em baixa rotação. Além disso, ele também tem maior torque, indo de 44 para 46, e conta com bobinas individuais.

Ademais, em relação às desvantagens, uma das principais diz respeito às bielas mais leves. Em consequência disso, essas peças se tornaram mais frágeis, podendo apresentar problemas com maior facilidade e rapidez.

Outro ponto que pode ser visto como uma desvantagem é o preço, pois o presente modelo é o mais caro da linha. Porém, não é à toa que é o mais vendido e procurado – e foi ele que elevou a fama dos motores 2JZ.

Motor 2JZ FSE

Por fim, a última modificação nesse grande motor da Toyota foi a versão FSE. Essa alteração final aconteceu no início dos anos 2000 e teve como principal objetivo melhorar o relacionamento do carro com o meio ambiente.

As versões anteriores, assim como muitos concorrentes, tinham grande capacidade de degradação ambiental pela significativa quantidade de emissão de poluentes.

Nesse sentido, a grande vantagem é que ele foi alterado e passou a ser produzido com 20% mais economia. Além disso, ele tem cabeçote retrabalhado.

Considerações finais

Motor 2JZ
Fonte: Canal da Peça

Ao longo do artigo, você conheceu as principais vantagens e desvantagens das versões do motor 2JZ Toyota Supra.

Assim, agora já sabe qual vale mais a pena para você. Isso porque a escolha vai depender das necessidades e propósitos que você tem.

Em termos gerais, o motor vale a pena, principalmente a versão GTE que é a mais conhecida e buscada pelos principais preparadores em diversos locais do mundo. Inclusive, é um motor muito usado em corridas de Drift na Europa.

Sendo assim, se você gosta de motores antigos e emblemáticos, o motor 2JZ pode sim ser uma ótima escolha e tornar seu projeto ainda mais potente e diferenciado em comparação às outras opções que o mercado oferece.