quando trocar a correia dentada

Quando Trocar a Correia Dentada? Explicamos Tudo Aqui

Você sabe quando trocar a correia dentada do seu carro?

A correia dentada é um dos componentes mais importantes do motor de um carro.

Sua função é sincronizar o funcionamento do comando de válvulas e do virabrequim, evitando que as válvulas se choquem com o pistão. Por isso, se ela não estiver em bom estado, ou quebrar, o motor pode ser destruído.

Então, se você quer manter a manutenção do seu carro em dia e evitar muita dor de cabeça, confira a seguir qual o momento certo de substituir a correia dentada do seu veículo e como cuidar bem para que ela dure mais.

Como funciona a correia dentada? Entenda sua função no comando de válvulas

Como funciona a correia dentada?
Fonte: Canal da Peça

A correia dentada, ou correia de distribuição, é formada por um compensado de lonas não inflamáveis.

Essa peça é responsável por coordenar os movimentos dos pistões e das válvulas para que eles trabalhem em sintonia, sem se chocar.

Dessa forma, ela protege a válvula dentro do cilindro.

Além disso, a correia também serve para garantir que as válvulas de admissão e de escapamento fechem no momento certo, permitindo que o carro se mova com segurança, estabilidade e conforto.

Em média, um carro tem até quatro correias dentadas: de motor, de ar-condicionado, do alternador e de direção hidráulica.

Elas podem variar de largura e comprimento, dependendo da sua função.

No caso da correia dentada do motor, o grande problema é que ela não causa grandes falhas no veículo quando apresenta desgaste.

O mais comum é que ocorra aumento do consumo de combustível e baixa no nível de óleo (problemas que podem ter diversas causas).

Contudo, uma vez que a correia rompe, o carro para de funcionar. E se esse rompimento ocorrer em alta velocidade, o choque pode causar danos irreversíveis ao motor.

Por isso, é importante respeitar a vida útil da correia dentada do seu carro e sempre fazer a revisão para garantir que ela não está danificada.

Quanto tempo dura a correia dentada do carro?

Em média, a correia dentada dura 5 anos ou até 60 mil quilômetros rodados. Porém, isso pode variar de acordo com o veículo e com as condições de uso.

Por exemplo, a Volkswagen recomenda que a correia dentada dos seus carros sejam trocadas a cada 120 mil quilômetros rodados. Além disso, a peça é analisada a cada revisão e a troca é realizada junto com o tensor.

Por outro lado, para os carros da Chevrolet com motor SPE/4 a recomendação da GM é trocar a correia dentada a cada 60 mil quilômetros rodados.

Da mesma forma, os carros da Fiat com motor Fire também precisam de troca da correia após essa mesma distância.

Já os carros da Ford com motor 1.0 3C e 1.5 3C com Ti-VCT podem ficar com a mesma correia dentada por 240 mil quilômetros, pois a peça possui um sistema de lubrificação que aumenta a sua vida útil.

Ou seja, para cada carro há um tempo de uso da correia de distribuição. Geralmente é informada no manual.

Entretanto, existem outros fatores que podem afetar a vida útil da peça.

Por exemplo, um automóvel que tem contato constante com pó abrasivo ou poeira, que faz apenas trajetos curtos (e o motor não aquece completamente) ou que circula em vias urbanas em que é preciso parar com frequência, tende a apresentar maior desgaste.

Então, como você pode saber quando trocar a correia dentada?

Quando trocar a correia dentada?

Quando trocar a correia dentada?
Fonte: TEBE

Antes de mais nada, se a correia dentada do seu automóvel já passou da quilometragem indicada no manual é necessário trocá-la imediatamente para evitar problemas mais graves.

Se esse não for o seu caso, nós temos algumas dicas para ajudar você a saber o momento certo de realizar a troca.

No geral, recomenda-se que o item seja inspecionado a partir dos 40 mil quilômetros rodados, pois é quando ele começa a apresentar os primeiros sinais de desgaste.

Alguns sinais de que a correia precisa ser substituída são:

  • Perda de energia ou força do carro;
  • Aumento do consumo de combustível;
  • Vibração anormal do motor;
  • Trancos para trocar de marcha;
  • Ruídos ao dirigir, como o som de algo deslizando;
  • Superaquecimento do motor.

Se notar um ou mais desses sinais, vale a pena levar o carro ao mecânico para avaliar o funcionamento da peça.

Se for necessário realizar a troca da correia dentada, o tensor da correia também deverá ser substituído, pois é ele quem mantém a peça esticada.

Além disso, é importante verificar o estado das polias para que todo o conjunto funcione bem.

Veículos usados

Da mesma forma, os carros antigos precisam passar por revisões para que a correia dentada seja avaliada.

Mas se o carro foi comprado usado, o melhor é levá-lo ao um mecânico para ter um parecer técnico sobre o estado da peça.

Em caso de dúvida, troque a correia dentada, mesmo se a quilometragem estiver abaixo do recomendado no manual do fabricante.

É verdade que não é barato substituir esse componente, mas andar com ele em mau estado pode ser perigoso. Tenha certeza que fazer a substituição preventiva vai causar menos prejuízos do que esperar a correia quebrar!

Como evitar problemas com as correias dentadas?

Como vimos, a melhor forma de evitar problemas é fazer a troca da correia dentada segundo as recomendações do manual do carro.

Mas alguns cuidados durante a direção podem fazer com que a peça dure mais.

Por exemplo, trocar a marcha e acelerar no momento certo causa menos danos à correia, pois essas ações a afetam diretamente, causando distensão.

Então, sincronize o tempo de aceleração com o acionamento do pedal de embreagem e troque de marcha de acordo com o giro do motor.

Além disso, se possível, evite andar em áreas com muita poeira ou pó abrasivo, como as regiões de mineração. Também ande com o carro o suficiente para que o motor aqueça e evite fazer muitas paradas.

Esses cuidados podem parecer simples, mas faz muita diferença na durabilidade da correia dentada!

Correia de direção, de ar condicionado e de alternador: quando trocar?

Apesar da correia dentada do motor ser uma das mais importantes, ela não é a única.

Dependendo do modelo, o carro pode ter mais três tipos. São elas:

  • Correia do alternador: aciona o alternador e gera energia para manter a bateria do carro carregada;
  • Correia do ar-condicionado: aciona o compressor do sistema;
  • E a correia de direção hidráulica: aciona a bomba hidráulica que envia o fluido à caixa de direção.

Em geral, recomenda-se que as correias de ar-condicionado e direção hidráulica sejam trocadas a cada 50 mil quilômetros rodados.

Enquanto isso, a correia do alternador precisa de troca a cada 20 mil quilômetros rodados.

Qual diferença entre corrente de comando e correia dentada?

Em vez de usar uma correia dentada, algumas montadoras optam por usar uma corrente de comando, ou corrente metálica, nos seus motores.

A função das duas é a mesma: sincronizar o funcionamento das válvulas e do virabrequim, impedindo que os pistões se choquem com o movimento.

Apesar de semelhança funcional, a corrente de comando tem algumas diferenças da correia dentada.

A principal é o material. Enquanto a correia é emborrachada, a corrente é feita de metal (semelhante às correias de bicicleta). Por isso, ela é menos elástica e mais durável.

O material da corrente de comando também influencia na sua manutenção. A correia dentada precisa ser substituída depois de uma certa quilometragem.

Em contrapartida, a corrente de comando pode ser usada durante toda a vida útil do motor.

Contudo, essa durabilidade tem o seu valor. Embora seja raro a corrente de comando quebrar, quando isso acontece o custo com manutenção pode ser até três vezes mais caro do que a correia dentada.

Outra diferença entre as duas peças é a forma como elas atuam no motor. A correia dentada, por ser mais flexível, pode ter um circuito mais complexo e movimentar mais polias.

Assim, a correia pode comandar as válvulas e movimentar os periféricos, como o alternador, ao mesmo tempo. Por outro lado, para realizar essa mesma função a corrente de comando precisa de correntes secundárias.

Qual a melhor?

Então, qual é melhor? Na verdade, tudo depende do tipo de veículo.

Geralmente, a correia dentada é usada em veículos de pequeno e médio porte, pois são mais frágeis. Já a corrente metálica, por ser resistente, é usada principalmente em motores grandes e potentes.

Sem dúvida, a corrente dentada é um dos componentes mais importantes de um motor. Por isso, é necessário respeitar sua vida útil e fazer inspeções regularmente.

Como você aprendeu neste artigo, em média é necessário fazer a troca a cada 60 mil quilômetros rodados.

Mas para garantir que o desgaste não aconteça muito rápido também é importante fazer a troca de marcha conforme o giro do motor.

Agora que você já sabe quando trocar a correia dentada, confira quanto tempo dura uma bateria de carro e como fazer ela durar mais!